SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.28 número1COMPORTAMIENTO PRODUCTIVO DE CONEJOS DURANTE EL PERÍODO DE CRECIMIENTO-ENGORDE ALIMENTADOS CON FRUTOS DE MANGO (MANGIFERA INDICA) EN SUSTITUCIÓN PARCIAL DEL ALIMENTO BALANCEADO COMERCIALABUNDANCIA DE ESPECIES DE TUCURAS (ORTHOPTERA: ACRIDIDAE) A TRAVÉS DEL MOSAICO DE RECURSOS DE UN ESTABLECIMIENTO EN ARRECIFES (PROV. DE BUENOS AIRES) índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Idesia (Arica)

versão On-line ISSN 0718-3429

Idesia v.28 n.1 Arica abr. 2010

http://dx.doi.org/10.4067/S0718-34292010000100006 

IDESIA (Chile) Enero - Abril 2010. Volumen 28,N°1,páginas 39-42

INVESTIGACIONES

 

CARACTERÍSTICAS BIOLÓGICAS DE TRICHOGRAMMA EXIGUUM EM OVOS DE ANAGASTA KUEHNIELLA E SITOTROGA CEREALELLA

BIOLOGICAL CHARACTERISTICS OF TRICHOGRAMMA EXIGUUM IN THE EGGS OF ANAGASTA KUEHNIELLA END SITOTROGA CEREALELLA

 


Dirceu Pratissoli1; Leandro Pin Dalvi1*; Ricardo Antonio Polanczyk1; Gilberto Santos Andrade2; Anderson Mathias Holtz1; Henrique Otes Nicoline1

*  Autor para correspondência (leandro-mpv@cca.ufes.br)

1  Centro de Ciências Agrárias da UFES; Alto Universitario s/no, C. Postal - 16, CEP: 29500-000 - Alegre - ES; e-mail: dirceu@npd.ufes.br; leandro-mpv@cca.ufes.br; ricardo@cca.ufes.br; aholtz@insecta.ufv.br; otes.hn@bol.com.br

2  Depto. Entomologia, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa-MG. gilberto.br@click21.com.br



RESUMO

O objetivo deste trabalho foi obter informações sobre alguns aspectos biológicos de Trichogramma exiguum Pinto & Platiner, (Hymenoptera: Trichogrammatidae) criado nos hospedeiros alternativos Anagasta kuehniella Zeller (Lepidoptera: Pyralidae) e Sitotroga cerealella Oliver (Lepidoptera: Gelechiidae), visando à produção desses parasitóides para utilização no controle biológico de pragas. A maior taxa de parasitismo de T. exiguum foi encontrada em ovos de A. kuehniella. A viabilidade foi superior em ovos de S. cerealella. A razão sexual foi semelhante para ambos os hospedeiros alternativos. Estes resultados demonstram que ambos hospedeiros alternativos podem ser utilizados na criação massal de T. exiguum, porém levando em consideração a importância da taxa de parasitismo, A. kuehniella demonstrou maior aptidão.

Palavras-chave: insecta, controle biológico, criação massal, parasitóides de ovos.


ABSTRACT

The objective of this work was to evaluate information about biological characteristics of egg of parasitoid Trichogramma exiguum Pinto & Platiner, (Hymenoptera: Trichogrammatidae) on the alternative hosts Anagasta kuehniella Zeller (Lepidoptera: Pyralidae) and Sitotroga cerealella Oliver (Lepidoptera: Gelechiidae) aiming to use in biological control programs. The higher rate of parasitism of the T. exiguum was verified on eggs of A. kuehniella. The viability of eggs was higher on eggs of S. cerealella. There is not influence in both alternative hosts in the sex ratio. Both alternative hosts can be used in massal rearing of T. exiguum, however due to the importance of the rate of parasitism, A. kuehniella is better adapting.

Key words
: insecta, biological control, massal rearing, egg parasitoid.


INTRODUÇÃO

Os parasitóides de ovos do gênero Trichogramma, apresentam ampia distribuição geográfica e grande número de hospedeiros naturais, especialmente os da ordem Lepidoptera, sendo criados massalmente em vários países utilizando-se diversos hospedeiros alternativos (Zucchi & Monteiro, 1997; Parra, 2002). As mariposas-praga de grãos são preferidas, por serem de fácil criação e multiplicacäo, baixo custo e por não afetarem o desenvolvimiento desse inimigo natural (Navarro, 1998). De acordo com Greenberg et al. (1998), Sitotroga cerealella Olivier (Lepidoptera: Gelechiidae), Anagasta kuehniella Zeller (Lepidoptera: Pyralidae) e Corcyra cephalonica Staiton (Lepidoptera: Pyralidae) são os hospedeiros alternativos mais utilizados em todo mundo para criação massal destes parasitóides.

Entretanto as características físico-químicas particulares de cada hospedeiro podem afetar tanto a aceitação quanto a adaptação da espécie e/ou linhagem do parasitóide, interferindo nas características biológicas e na sua agressividade, comprometendo assim a qualidade e eficiência do mesmo. Desta forma a escolha do hospedeiro alternativo mais adequado é o primeiro passo no processo de produção massal de parasitóides do gênero Trichogramma (Monge et al.,1999).

No passado, muitos insucessos na utilização de parasitóides ocorreram pela falta de conhecimentos básicos durante a criação massal, como as interações entre parasitóide e hospedeiro. Sendo assim, objetivou-se com este trabalho avaliar algumas características de Trichogramma exiguum Pinto & Platiner, (Hymenoptera: Trichogrammatidae) criado sobre ovos dos hospedeiros alternativos A. kuehniella e S. cerealella, visando à produção destes parasitóides para utilização no controle biológico de pragas.

MATERIAL E MÉTODOS

O experimento foi conduzido no Núcleo de Desenvolvimento Científico e Tecnológico em Manejo Fitossanitário "NUDEMAFI" situado no campus do Centro de Ciências Agrárias da UFES (CCA-UFES), Alegre-ES, em câmara climatizada com temperatura de 25 ± 1°C , umidade relativa de 70±10% e fotofase de 14 horas.

A linhagem de T. exiguum utilizada foi coletada com armadilhas contendo ovos de A. kuehniella, em plantios comerciais de tomate no município de Piaçú, Espírito Santo, sendo os espécimes obtidos, divididos em dois lotes, um criado em ovos de A. kuehniella e o outro em ovos de S. cerealella. Ambos os lotes foram mantidos em laboratório por 10 gerações até o inicio dos experimentos.

A metodologia empregada na criação do hospedeiro alternativo A. kuehniella foi à desenvolvida por Parra et al. (1997), porém foi adaptada para as condições do setor Entomologia do NUDEMAFI, utilizando uma dieta à base de farinha de trigo integral e de milho (97%) e levedura de cerveja (3%).

O preparo da dieta para a criação do hospedeiro S. cerealella teve como base à metodologia desenvolvida por Hassan (1997), com algumas modificações, utilizando uma dieta à base de graos de trigo descarificado, com umidade variável entre 11-14%. As condições climáticas da sala de criação de A. kuehniella e S. cerealella foram de 25 ± 2°C e umidade relativa 70 ± 10%.

A criação e multiplicação do parasitóide T. exiguum baseou-se na metodologia descrita por Parra et al. (1997). Ovos de S. cerealella e A. kuehniella colados com goma arábica diluída a 10% em retângulos de cartolina azul celeste (cartelas) (4,0 x 2,0cm), foram oferecidos aos parasitóides em recipientes de vidro (8,5 x 2,4cm), onde foi permitido o parasitismo por 24 horas. Os ovos de A. kuehniella foram inviabilizados em lâmpada germicida por 50 minutos, devido a esta espécie apresentar habito canibal.

Para cada hospedeiro avaliado foram utilizadas 25 fêmeas recém emergidas individualizadas em tubos de vidro (4,0 x 0,7cm), contendo gotículas de mel de abelha para alimentação e tamponados com filme plástico PVC. Cada fêmea constituiu uma repetição, e recebeu 40 ovos do respectivo hospedeiro, colados com goma arábica diluída a 10% em um retângulo de cartolina (3,5 x 0,5cm) de cor azul-celeste. Foi permitido o parasitismo por 24 horas, sendo que ao término a cartela era trocada por uma nova. O procedimiento foi realizado durante três dias devido a este periodo responder normalmente por cerca de 70 % do parasitismo total. As cartelas retiradas a cada 24 horas foram acondicionadas em tubos de vidro (8,5 x 2,4 cm ) e mantidas nas mesmas condições de criação do parasitóide até a emergência dos descendentes.

Foram avaliadas a percentagem de parasitismo, a viabilidade dos ovos e a razao sexual de T. exiguum criado nos hospedeiros alternativos A. kuehniella e S. cerealella. O delineamento utilizado foi o inteiramente casualizado, as medias foram comparadas pelo teste de Tukey a 5%.

RESULTADOS E DESCUSSÃO

Ambos hospedeiros alternativos foram aceitos por T. exiguum. No entanto, foi observado que a taxa parasitismo foi maior em ovos de A. kuehniella nos três dias de avaliação em que foram oferecidas cartelas contendo ovos do hospedeiro (Tabela 1). Comportamento semelhante a este foi encontrado por Gomes (1997), quando avaliou a agressividade de cinco linhagens T. pretiosum, encontrando também menor aceitação em ovos de S. cerealella. Vários são os fatores que podem afetar o parasitismo de Trichogramma, como por exemplo, o tamanho do ovo, espessura do córion e a presença de químicos voláteis. Contudo, no caso de A. kuehniella e S. cerealella a qualidade nutricional é o fator que mais influencia na aceitação do parasitóide, sendo os ovos de A. kuehniella mais nutritivos em relação aos ovos de S. cerealella (Pratissoli & Parra, 2000).



Tanto em ovos de S. cerealella, quanto em ovos de A. kuehniella, a viabilidade do parasitóide foi superior a 86% (Tabela 1). Esta viabilidade é considerada satisfatória no manual de controle de qualidade de produção de Trichogramma (Navarro, 1998). Resultados encontrados por Alencar et al. (2000) atestam a adequacao de S. cerealella para T. pretiosum com valor de 88% de viabilidade. Nicoli et al., (2004) estudando a viabilidade de T. atopovirilia em ovos de A. kuehniella obteve 96% nestas mesmas condicoes, confirmando a qualidade do hospedeiro.

A razao sexual dos descendentes de T. exiguum criados em ovos de A. kuehniella foi semelhante a S. cerealella (Tabela 1), demonstrando que com a utilizacao destes hospedeiros pode-se produzir um alto número de fêmeas do parasitóide e atingir o índice aceitável, exigido no controle de qualidade de Trichogramma, com valor igual ou superior a 0,5 (Navarro, 1998). Goncalves et al. (2003) demonstraram que o valor de razao sexual para T. pretiosum não foi afetado, ficando também acima de 0,5. De acordo com Vinson, (1994), o sexo da progênie pode ser influenciado pela qualidade do hospedeiro demonstrado que de acordo com os resultados ambos hospedeiros se mostram ade-quados para o desenvolvimento desta espécie de parasitóide.

CONCLUSÂO

Ambos hospedeiros alternativos podem ser utilizados na criação massal de T. exiguum, porém, levando em consideração a importância da taxa de parasitismo, A. kuehniella demonstrou maior aptidão.

AGRADECIMENTOS

Ao Conselho Nacional de Desenvolvimiento Cientifico e Tecnológico (CNPq) e á Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) pela concessão de bolsas.

LITERATURA CITADA

ALENCAR, J.A.; HAJI, F.N.P.; OLIVEIRA, J.V.; MOREIRA, A.N. 2000. Biologia de Trichogramma pretiosum Riley em ovos de Sitotroga cerealella (Olivier). Pesquisa Agropecuária Brasileira. 35: 1669-1674.         [ Links ]

GOMES, S.M. 1997. Comparação de três hospedeiros alternativos para criação e produção massal de Trichogramma pretiosum e T. galloi. Piracicaba, ESALQ, 106 p. (Disertação de mestrado).         [ Links ]

GONÇALVES, J.R.; HOLTZ, A.M.; PRATISSOLI, D.;GUEDES, R.N.C. 2003. Avaliação da qualidade de Trichogramma pretiosum (Hymenoptera: Trichograrnmatidae) em ovos de Sitotroga cerealella (Lepidoptera: Gelechiidae). Acta Scientiarum. Agronomy. 25: 485-489.        [ Links ]

GREENBERG, S.M.; MORRISON, R.K.; NORDLUND, O.A.; KING, E.G. 1998. A review of thescientitic literature and methods for production of factitions hosts for use in mass rearing of Trichograrnma (Hym. : Trichogrammatidae) in the former Soviet Union, the United States, Western Europe and China. Journal Entomology Science. 33: 15-32.         [ Links ]

HASSAN, S.A. 1997. Criação da traça do milho Sitotroga cerealella, para produçao massal de Trichogramma. In: PARRA, J.R.P.; ZUCCHI, R.A., Trichogramma e o controle biológico. Piracicaba: FEALQ. 324 p.         [ Links ]

MONJE, J.C.; ZEBITZ, C.P.W.; OHNESORGE, B. 1999. Host and host age preference of Trichogramma galloi and T. pretiosum (Hym.:Trichogrammatidae) reared on different hosts. Journal Economical of Entomolology. 92: 97-103.         [ Links ]

NAVARRO, M.A. 1998. Trichogramma spp. Producción, Uso y Manejo en Colombia. Guadalajara de Buga: Impretec. 176 p.         [ Links ]

NICOLI, E.M.; PRATISSOLI, D.; REIS, E.F.; SANTOS, H.S. 2004. Viabilidade e razão sexual de Trichogramma atopovirilia Oatman & Platner, 1983 (Hymenoptera, Trichogrammatidae) sob influência do hospedeiro Anagasta kuehniella (Zeller, 1879) (Lepidoptera, Pyralidae) em condiçôes de laboratório. Entomologia y Vecterinaria. 11: 521-533.         [ Links ]

PARRA, J.R.P. 1997. Técnicas de criação de Anagasta kuehniella, hospedeiro alternativo para produção de Trichogramma. In: PARRA, J.R.P.; ZUCCHI, R. A. Trichogramma e o controle biológico aplicado. Piracicaba:FEALQ. 324 p.         [ Links ]

PARRA, J.R.P. 2002. Criação massal de inimigos naturais. In: PARRA, J.R.P., BOTELHO, P.S.M., CORRÊA-FERREIRA BENTO, J.M.S. Controle biológico no Brasil: Parasitóidese Predadores. Barueri, Manole. 609 p.         [ Links ]

PRATISSOLI, D.; PARRA, J.R.P. 2000. Desenvolvimento e exigências térmicas de Trichogramma pretiosum Riley,criados em duas traças do tomateiro. Pesquisa Agropecuária Brasileira. 35: 1281-1288.         [ Links ]

VINSON, S.B. 1994. Physiological interactions between egg parasitoids and their hosts. In: WAJNBERG, E.; HASSAN, S.A. (eds.) Biological control with egg parasitoids. Wallingford:CAB International. 286 p.         [ Links ]

ZUCCHI, R.A.; MONTEIRO, R.C. 1997. O gênero Trichogramma na América do Sul. In: PARRA, J. R. P.;ZUCCHI, R. A. (eds.), Trichogramma e o Controle Biológico Aplicado, FEALQ. 324 p.         [ Links ]


Fecha de Recepción: 01 Octubre 2007
Fecha de Aceptación: 16 Enero 2008

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons