SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.58 número1-2Encuesta coproparasitológico canina realizado en plazas publicas de la ciudad de Mar del Plata, Buenos Aires, ArgentinaEnteroparasitosis en poblaciones indígenas y mestizas de la Sierra de Nayarit, México índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


Parasitología latinoamericana

versión On-line ISSN 0717-7712

Resumen

DA CUNHA E SILVA, SANDRA L. et al. Ação anti-helmíntica de extratos brutos de Andira anthelmia (Vell.) Macbr. e Andira fraxinifolia Benth., em camundongos naturalmente infectados por Vampirolepis nana e Aspiculuris tetraptera. Parasitol. latinoam. [online]. 2003, vol.58, n.1-2, pp.23-29. ISSN 0717-7712.  http://dx.doi.org/10.4067/S0717-77122003000100004.

A atividade anti-helmíntica dos extratos brutos da folha fresca e seca, casca do tronco e da raiz da espécie Andira anthelmia e A. fraxinifolia, foi avaliada sob as espécies Vampirolepis nana e Aspiculuris tetraptera. Foram utilizadas as doses de 8 g/kg/dia para folhas e casca do tronco, e de 1, 2, 4 e 8 g/kg/dia para a casca da raiz de A. anthelmia, e as doses de 8 g/kg/dia para folhas e casca da raiz, e de 4, 8 e 16 g/kg/dia para a casca do tronco de A. fraxinifolia. A dose de 8 g/kg/dia do extrato bruto da folha fresca e seca, da casca do tronco e da raiz, quando comparadas, não apresentaram diferença significativa no percentual de eliminação de V. nana, 14,9%, 16,4%, 6,3%, 17,9%, respectivamente, o mesmo ocorreu quando comparadas ao grupo controle (7,4%). As doses de 2 e 4 g/kg/dia, 49,4% e 42,7%, respectivamente, foram significativa-mente mais ativas para V. nana, em comparação com as demais partes anatômicas e o grupo controle, não apresentando diferença em relação a dose de 1 g/kg/dia da casca da raiz e do mebendazol. A dose 2 g/kg/dia foi significati-vamente mais ativa para A. tetraptera (63,2%), em comparação com as folhas, a casca da raiz nas doses de 1 e 4 g/kg/dia, e o grupo controle, 1,2%, 1,7%, 31,7%, 15,3%, 0,1%, respec-tivamente. Contudo, não apresentou diferença significativa em relação ao nitroscanato, sendo menos ativa do que o mebendazol. Embora a dose de 8 g/kg/dia da casca do tronco de A. fraxinifolia tenha apresentado um percentual de eliminação de V. nana maior (37,5%), não foi observado diferença estatística, quando comparado com as demais doses, partes anatômicas, grupo controle e o mebendazol. Similarmente, não foi observado diferença significativa nos percentuais de eliminação de A. tetraptera. Os resultados sugerem o extrato bruto da casca da raiz de A. anthelmia como anti-helmíntico promissor, necessitando de estudos complementares, devido a alta toxicidade apresentada

Palabras clave : Medicinal plants; Anthelmintic; Treatment.

        · resumen en Inglés     · texto en Español     · Español ( pdf )

 

Creative Commons License Todo el contenido de esta revista, excepto dónde está identificado, está bajo una Licencia Creative Commons