ISSN 0718-2228 versão online
ISSN 0717-0297 versão impressa

INSTRUÇÕES AOS AUTORES

Condições de publicação

As condições de publicação em PSYKHE são as seguintes:

1.
Os artigos devem ser originais e inéditos. Ao enviar um artigo, deve-se indicar expessamente que o mesmo não está sendo submetido simultanêamente a outra publicação.
2.
Os artigos devem ser escritos em castelhano ou em inglês e ter no máximo 8.000 palavras (incluindo resumo, palavras-chave, nota de autor, texto, referências, quadros e figuras).
3.
Os artigos devem ser escritos com espaço entre linhas 1,5 e fonte Times New Roman tamanho 12. Cada parágrafo deve ter sangria de 0,63 cm da margem.
4.
Os artigos devem ser redigidos segundo as normas do Manual de Estilo de Publicações da American Psychological Association, 5ª edición (2001).
5.
Os artigos devem incluir uma Página Titular com o nome da instituição a que pertencem os autores, e o título corrido (título abreviado que irá no cabeçário de cada página); um resumo bilingüe (castelhano e inglês), de até 120 palavras, na segunda página; 5 palavras-chave no máximo, localizadas na continuação do resumo; uma nota do autor na página seguinte às referências que deve incluir o nome, instituição, endereço e e-mail de cada autor, assinalando o autor a quem deve ser dirigida a correspondência relativa ao artigo.
6.
O título do artigo deve ser escrito en castelhano e em inglês.
 
7.
Os artigos devem ser enviados em uma cópia impressa e em versão eletrônica (via e-mail o CD).
 
8.
Os artigos devem ser enviados a especialistas para avaliação. Neste processo será mantido sigilo dos nomes dos autores e avaliadores. A decisão de aceitar, revisar ou recusar os artigos será tomada, com bases nas avaliações, pelo Comitê Editorial e comunicada aos autores pelo Editor.
 
9.
Os artigos empíricos devem atender aos princípios éticos vigentes para pesquisa com seres vivos. Para mayor informação, consultar: http://www.apa.org/ethics/code2002.pdf
 
10.
Uma vez aceito um artigo, os autores assinarão um formuláro de transferência dos direitos de autor do artigo a PSYKHE.

Forma e preparação de manuscritos

APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS SEGUNDO AS NORMAS DA AMERICAN PSYCOLOGICAL ASSOCIATION (APA)*

Ordem das Seções do Artigo

1.

Na primeira página, deve-se indicar o título do artigo em espanhol e inglês, nome do autor ou autores, instituição a que estão afiliados e título em itálico (título abreviado que irá ao cabeçalho de cada página). O título do artigo deve ser centralizado, fonte tamanho 14, em negrito, as primeiras letras das palavras importantes em maiúscula (exceto artigos, conjunções e preposições, a não ser que contenham 4 letras ou mais. Exemplos: a, do, Entre, Contra).

2.
Na segunda página, deve-se escrever o resumo em espanhol e inglês, de no máximo 180 palavras, e entre três e cinco palavras-chave em espanhol e inglês, abaixo do resumo correspondente.
3.
Na terceira página iniciar o desenvolvimento do texto do artigo, o qual deve ser escrito em fonte Century Schoolbook tamanho 10.
4.
Terminado o texto, iniciar as Referências em página à parte.
5.
Na página seguinte, deve estar a nota do autor, indicando o nome do autor ou autores, instituição na qual trabalha(m), a quem e a qual endereço deve-se enviar a correspondência relacionada com o artigo e e-mail.
6.
Em página à parte, listar as notas de rodapé, numeradas ao longo do artigo com superíndices e números arábicos. É política da Revista não exceder em notas de rodapé. Estas se usam principalmente para assinalar as autorizações obtidas para uso de instrumentos, material, figuras  ou tabelas que tenham direitos autorais, e não para explicar aspectos que devem ser aclarados no texto.
7.
Nas páginas seguintes incluir as tabelas e em seguida as figuras, colocando cada uma em uma página separada. Se houver anexos, estes devem ser incluídos em uma página à parte.

Resumo

O resumo de um estudo empírico deve conter: (a) o problema de investigação, se possível em uma mesma oração; (b) o desenho amostral e os participantes, especificando as características pertinentes, tais como sexo e idade; (c) os aspectos importantes do método; (d) os resultados principais (não mais de quatro ou cinco) e (e) as conclusões ou implicações principais.

O resumo de uma revisão bibliográfica ou meta-análise deve conter: (a) o problema de investigação; (b) os critérios para a seleção da bibliografia ou estudos; (c) tipo de participantes incluídos nos estudos; (d) os resultados principais; (e) as conclusões principais (incluídas as limitações) e (f) implicações para a teoria, política ou prática.

O resumo de um artigo teórico deve descrever: (a) como funciona a teoria ou modelo e os princípios em que se baseia e (b) os fenômenos que a teoria ou modelo dá conta ou explica e os vínculos com resultados empíricos.

O resumo de um artigo metodológico deve descrever: (a) a classe geral de método/s que discute; (b) os aspectos essenciais  do método proposto; (c) o âmbito de aplicação do método proposto e (d) em caso de técnicas estatísticas, alguns dos aspectos métricos essenciais, tais como robustez, eficiência, validade e confiabilidade.

O resumo de um estudo de caso deve conter: (a) as características relevantes do indivíduo, grupo, comunidade ou organização apresentada; (b) a natureza do problema ou solução do problema ilustrado pelo caso que se apresenta e (c) as perguntas que surgem para futuras investigações ou teorias.

O resumo deve ser escrito em um único parágrafo com sangria completa de 1,25 cm em ambos lados. Os números se escrevem como numerais (exemplo: 1,5).

Na linha  que segue ao resumo e abstract (com espaço de 10 pontos entre as linhas) devem ser escritas as Palavras-chave e Keywords, respectivamente. Palavras-chave e Keywords devem ser escritas com sangria de 0,63 cm e em itálico. As palavras mesmas se escrevem em minúscula e com letra normal. Terminar sem usar ponto final. Exemplo:

 

[Texto do resumo xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx]

Palavras-chave: palavra, palavra, palavra, palavra

Notas do Autor

A nota do autor se organiza da seguinte maneira:

Primeiro parágrafo (obrigatório). Nome do autor ou autores com a afiliação completa da instituição a qual pertencia durante o desenvolvimento do estudo. O formato é o seguinte: nome do autor ou autores de uma mesma instituição, vírgula, nome do departamento ou escola da universidade, vírgula, nome da universidade, vírgula, cidade (não se acrescenta a cidade se a universidade tem o nome da mesma), vírgula, país, ponto e vírgula, próximo autor ou autores de outra instituição. Se o autor não está afiliado a nenhuma instituição, devem ser escritos a cidade, vírgula, estado (quando pertinente), vírgula, país. Os graus acadêmicos não devem ser escritos.
Exemplo: Margarita Santander e Cecilia Acuña, Departamento de Psicologia, Universidad de Chile, Santiago, Chile; Jorge Marambio, Departamento de Sociologia, Universidad de Santiago, Chile; Felipe Acuña, Valparaíso, Chile.

Segundo parágrafo (se pertinente). Mudança de filiação posterior ao período do estudo, identificando este da seguinte maneira: [nome do autor] pertence agora a [afiliação]. Na afiliação deve-se assinalar o departamento, vírgula, universidade, vírgula, cidade, país. Exemplo: Jorge Marambio pertence agora ao Departamento de Psicologia, Universidad de Chile, Santiago, Chile.

Terceiro Parágrafo (se pertinente). Circunstâncias especiais que se devam assinalar, tais como o uso de dados usados previamente em artigos publicados, tese de doutorado ou mestrado ou conflitos de interesses. Exemplo:

O artigo faz parte da tese para a obtenção do Grau de Mestre em Psicologia da Universidad de Chile.

Quarto parágrafo (se pertinente). Reconhecimentos.

Quinto parágrafo (obrigatório). Autor de contato. O formato é: A correspondência relativa a este artigo deve ser dirigida a [nome do autor], [afiliação atual completa], [endereço completo], [cidade], [país]. E-mail: [endereço eletrônico] (sem ponto final). Exemplo:

A correspondência relativa a este artigo deve ser dirigida a Margarita Santander, Departamento de Psicologia, Universidad de Chile, Avda. Bernardo O’Higgins 340, Santiago, Chile. E-mail: msantander@uchile.cl

Cada parágrafo deve ser escrito com sangria de 0,63 cm e não se deixa espaço entre os parágrafos.

No Texto

Cabeçalhos

O formato que se deve utilizar para escrever o cabeçalho do texto é:

Nível 1: cabeçalho centrado, fonte tamanho 10, em negrito, as primeiras letras das palavras importantes em maiúscula.

Nível 2: cabeçalho alinhado à esquerda, fonte tamanho 10, em negrito, as primeiras letras das palavras importantes em maiúscula.

Nível 3: cabeçalho de parágrafo com sangria de 0,63 cm, fonte tamanho10, em negrito, somente a primeira letra da primeira palavra em letra maiúscula, terminar com ponto e negrito. O parágrafo segue à continuação, iniciando com maiúscula e letra normal.

Nível 4: cabeçalho do parágrafo com sangria de 0,63 cm, fonte tamanho 10, em negrito e itálico, somente a primeira letra da palavra em letra maiúscula, terminar com ponto final em itálico.  O parágrafo segue à continuação, iniciando com maiúscula e letra normal.

Nível 5: cabeçalho do parágrafo com sangria de 0,63 cm, fonte tamanho 10, em itálico, somente a primeira letra da primeira palavra em letra maiúscula, terminar com ponto final em itálico. O parágrafo segue à continuação, iniciando com letra maiúscula e letra normal.

Em artigos com um nível se utiliza o cabeçalho nível 1; nos artigos com dois níveis se utilizam os cabeçalhos nível 1 e nível 2 e assim sucessivamente.

Exemplo para três níveis de cabeçalho:

Método

Procedimento

Período de pré-treinamento. xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Exemplo para quatro níveis de cabeçalho:

Experimento 2

Método

Materiais de estímulo. xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Estimulos auditivos. xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Exemplo para cinco níveis de cabeçalho:

Resultados

Estudo 1

Método.xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Procedimento.xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Período de pré- treinamento.xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

A seção de Introdução não leva cabeçalho (se presume). Deve-se evitar colocar somente um cabeçalho dentro de uma seção; usar ao menos dois cabeçalhos de subseção em uma seção ou não usar nenhum.

Seriação

a)
Para indicar a seriação de elementos dentro de um parágrafo ou oração, utilizar letras minúsculas entre parênteses. Exemplo:
As três opções dos participantes foram (a) trabalhar com outro participante, (b) trabalhar em uma equipe e (c) trabalhar sozinhos.
Utiliza-se vírgula para separar três ou mais elementos que não possuam vírgulas internas; em caso contrário, utilizar ponto e vírgula.
b)
Para indicar a seriação de parágrafos separados,  enumerar cada parágrafo com um número arábico, seguido de ponto. A segunda linha e as seguintes devem alinhar-se ao começo do texto (com a primeira). O primeiro e último parágrafo devem ter um espaço de 3 pontos  em relação ao texto.  Exemplo:

Os dados foram submetidos às seguintes análises:

1.
Análises estatísticas descritivas que tiveram como objetivo informar sobre o comportamento da amostra…
2.
Análise de fatores através do método de extração de componentes principais com rotação Varimax para ….
3.
Cálculo da correlação entre o número de pontos totais obtidos por …

c)
Se enumerar os elementos pode produzir uma indesejada ordem de importância dos mesmos, pode-se usar uma vinheta, tal como ▪. Exemplo:

1.
Análises estatísticas descritivas que tiveram como objetivo informar sobre o comportamento da amostra…
2.
Análise de fatores através do método de extração de componentes principais com rotação Varimax para ….
3.
Cálculo da correlação entre o número de pontos totais obtidos por …

Números

São escritos com palavras:

Os que iniciam uma oração
Os menores de 10 (exemplo: os primeiros dois itens)
As frações comuns (exemplo: um quinto dos participantes)

Se escrevem como números:

Os números 10 e maiores
Os que aparecem no Resumo e Abstract, em tabelas e figuras
Los números menores a 10 que aparecen en una secuencia donde también aparecen números mayores a 9 (ejemplo: los niños tenían 6, 7 y 10 años de edad).
Los que preceden a una unidad de medida (ejemplo: una dosis de 5 mg).
Los que representan funciones estadísticas, cantidades fraccionales o decimales, porcentajes, razones, percentiles, deciles y cuartiles (ejemplos: F(2, 40) = 3,15; multiplicado por 5; 7,3; 3 veces mayor (proporción); más del 7% de la muestra; una razón de 10:1; el percentil 5).
Los que representan tiempo, fecha, edad, puntajes y puntos en una escala, suma exacta de dinero (ejemplos: 2 horas 40 minutos, 3 años 2 meses, a las 5:30 PM, los participantes que tuvieron 4 puntos o más en una escala de 7 puntos). Excepción: aproximación de años, meses y días (ejemplo: hace cinco años atrás).
Los que denotan un lugar específico en una serie numerada, partes de libros y tablas (ejemplos: Tabla 5, línea 6).

Uso de maiúsculas e  sinais

Maiúsculas

As maiúsculas se usam como se usam normalmente no idioma espanhol. Contudo, algumas especificações são necessárias:

Usar maiúscula:

Na primeira palavra depois de dois pontos no idioma inglês: Exemplo: Violence in schools: A longitudinal study.
Nas palavras principais em títulos de livros e artigos dentro do texto de um artigo. Exemplos: No livro Metodología de la Investigación Cualitativa, Rodríguez, Gil e García (1999) enfatizam que ... A principal crítica que pode ser feita ao artigo “Atitudes dos Trabalhadores Sindicalizados” é que...
Nas palavras principais em cabeçalhos de nível 1 e 2 do mesmo artigo.
Nas palavras principais em título de tabelas e legendas de figuras do mesmo artigo. Exemplo: Tamanho Amostral, Segundo Nível de Ensino e Grupo Experimental e Controle.
Referencia a títulos ou seções do mesmo artigo. Exemplo: tal como se explica na seção Método.
Em nome de revistas, jornais. Exemplos: Developmental Psychology, La Segunda.
Em nome de departamentos ou escolas específicos de uma universidade, nome de uma universidade específica e nome de um curso específico. Exemplos: Escola de Psicologia, Pontifícia Universidad Católica de Chile, curso de Metodologia da Investigação.
Em nome de drogas (nome comercial) e equipamentos. Exemplos: Haldol (mas não em haloperidol), Xerox, Web.
    Em substantivos seguidos de numerais ou letras que se referem a um lugar específico em uma série numerada. Exemplos: Como mostra a Tabela 2 Capítulo 2, Projeto FONDECYT 3456789, Experimento 3, Condições A e B de um experimento.
Em nomes de instrumentos ou teste. Exemplo: o Inventário Multifásico de Personalidade de Minnesota.
Em nome de fatores ou efeitos: Exemplo: o fator Vingança.
Nos termos fator, variáveis ou efeito quando vão seguidos de um numeral. Exemplos: Fatores 2 e 5, Componente 1.
Nos efeitos ou variáveis quando aparecem  com um sinal de multiplicação. Exemplo: a interação Sexo x Idade x Peso.

Não utilizar maiúscula:

Na primeira palavra depois de dois pontos no idioma espanhol: Exemplo: Violência escolar: um estudo longitudinal.
Em nome de teorias, leis, modelos, procedimentos estatísticos ou hipóteses. Exemplos: a teoria da aprendizagem significativa, a grounded theory, o modelo de terapia familiar sistêmica, uma prova de t de dois grupos, a lei de divórcio.
Nas palavras principais em títulos de livros e artigos na seção de Referencias; só se usa maiúscula na primeira palavra. Exemplo: Rodríguez, G., Gil, J. & García, E. (1999). Metodologia da investigação qualitativa [segue a referência].
Palavras principais em cabeçalhos com sangria de níveis 3, 4 e 5 do mesmo artigo; só se usa maiúscula na primeira palavra e em substantivos próprios.
Palavras principais em etiquetas de tabelas e nota ao pé de figuras do mesmo artigo. Exemplo: Quantidade de alunos.
Nome de departamentos ou escolas  não específicas, cursos não específicos e nomes de profissões. Exemplos: uma escola de psicologia, um curso de introdução a psicologia, o psicólogo...
Nome genérico de drogas. Exemplos: haloperidol, ácido acetil salicílico.
Substantivos seguidos de numerais ou letras que se referem a lugares comuns de livros ou tabelas. Exemplos: No parágrafo 4; na coluna 5 da Tabela 1.
As palavras como teste ou escala quando se referem a sub-escalas de um instrumento ou teste. Exemplo: a escala de Depressão do MMPI.
Nome de condições ou grupos em um experimento. Exemplo: os grupos experimental e controle.
Efeitos ou variáveis quando aparecem sem um sinal de multiplicação.  Exemplo: se observou um pequeno efeito da idade.

Aspas

Usar aspas duplas:

A primeira vez que se usa um termo ou frase utilizado como ironia, gíria, modismo ou palavra inventada. Não se usa aspas nas seguintes vezes que se usa. Exemplo: Pode-se dizer que essas crianças tiveram um comportamento “normal”... Assim: o comportamento normal...
Para referir-se no texto a artigos de revistas ou capítulos de livros. Exemplo: O artigo de Oviedo e Campo-Arias (2005), “Aproximação ao Uso do Coeficiente Alfa de Cronbach”...
Para citar textualmente a algum autor  (quando a citação tem menos de 40 palavras)
Para referir-se a instruções curtas (menos de 40 palavras) dadas aos participantes. Exemplo:  Pediu-se aos participantes: “Abram o caderno na Página 4”-

Não usar aspas duplas:

Para citar textualmente a algum autor quando a citação tem 40 ou mais palavras. A citação se escreve com margem de 0,63 cm de ambos lados, sem aspas.
Para referir-se às instruções de 40 palavras ou mais dadas aos participantes. A instrução se escreve com margem de 0,63 cm de ambos lados, sem aspas.
Para identificar categorias de uma escala. Em vez disso, usar itálico. Exemplo: Os itens foram pontuados em uma escala Likert de 4 pontos, desde 1 (nunca) até 4 (sempre).
Para citar uma letra, palavra, frase ou oração como exemplo linguístico. Em vez disso, usar itálico. Exemplo: Deve ser feita a distinção entre sexo e gênero.
Para introduzir um termo ou conceito técnico. Em vez disso, usar itálico. Nas vezes seguintes em que se usa o mesmo termo, usar letra normal. Exemplo: É preciso definir o conceito liderança. Assim: liderança.
Para acentuar ou remarcar. Exemplo: Não: “Agradeceu-se” aos participantes a sua cooperação. Sim: Agradeceu-se aos participantes a sua cooperação.

Hífen

Há dois tipos de hífen em espanhol: travessão ou hífen longo (¾) e curto, semelhante ou igual ao sinal de menos (-).

Usar travessão:

Para introduzir uma frase que especifique algo que se assinale, interrompendo o discurso. Em espanhol se deixa um espaço antes e depois do travessão que separa o discurso normal. Exemplo: A evidência dá conta da participação crescente das crianças ¾ conforme seu desenvolvimento ¾ na tomada de decisões. Em inglês não se deixa espaço.
Em um diálogo para indicar que toma a palavra o outro interlocutor. Exemplo:

—E o quê você disse?
—Que não concordava, que eu achava injusto

Usar hífen curto:

Para separar palavras ou número de páginas. Exemplos: correlação bisserial de pontos item-teste, poli-sintomatologia, desenho metodológico descritivo-analítico, pp. 304-309.

Itálico

Em geral, não se deve usar letras em itálico em excesso.

Usar itálico:

Para títulos de livros, revistas, jornais, filmes, vídeos (Introducción a los Métodos Cualitativos de Investigación, American Psychologist)
Para referir-se a espécies e gêneros de animais e plantas (zinnia elegans)
Para identificar categorias de uma escala. Exemplo: Os itens foram pontuados em uma escala Likert de 4 pontos, desde 1 (nunca) até 4 (sempre)
Para citar uma letra, palavra, frase ou oração como exemplo linguístico. Exemplo: Deve fazer-se a distinção entre sexo e gênero
Para introduzir  um termo ou conceito técnico. Quando se usa o mesmo termo posteriormente, usa-se letra normal. Exemplo: É preciso definir o conceito de liderança. Assim: liderança.
Nas palavras que poderiam ser mal interpretadas
Em letras usadas como símbolos estatísticos ou variáveis algébricas (d de Cohen, t de Student, a/b = c/d).
Em algumas pontuações de teste ou escalas (pontuações no Rorschach: F+%, Z; escala de MMPI: Hs, Pd).
No número de revistas nas Referências (American Psychologist, 38, 50-59.)
Para referir-se a termos ou conceitos em algum idioma diferente do espanhol. Vide exceções.

Não se usa letra em itálico:

Em expressões latinas de uso comum no espanhol que aparecem no Dicionário da Real Academia Espanhola (a priori, a posteriori, de facto, et al., ex profeso, grosso modo, hábeas corpus, in situ, in vitro, ipso facto, lapsus línguae, modus vivendi, motu proprio, per se, post hoc, sui géneris, statu quo, vademécum, vox pópuli), as inglesas de uso comum (test, software) ou os latinismos anglicanizados (versus).
Em termos químicos (LSD).
Em termos trigonométricos (log, sin).
Em subíndices não estatísticos de símbolos estatísticos (Fmax, SA + SB).
Em letras gregas (β, X2).
Em superíndices (S2).
Para enfatizar.

Tabelas

As tabelas devem ser elaboradas em formato de tabela em Word e devem ser centralizadas na página. O tamanho da letra depende do tamanho da tabela. Se esta é muito pequena, deve-se usar fonte tamanho 10, se é média,  fonte tamanho 9 e se é grande, tamanho 8. Apresentam-se as tabelas só com as duas linhas horizontais superiores (ou três, segundo o cabeçalho das colunas) e a inferior (linha simples de ½ ponto).  Não se utilizam linhas verticais e limita-se o uso de outras horizontais àquelas que sejam necessárias para permitir maior clareza à organização da informação.

O título da tabela deve ser colocado sobre a mesma, começando onde se inicia esta e terminando onde termina a tabela. O título deve ser colocado em itálico (não Tabela X) e só as palavras principais devem começar com maiúscula (omitir a maiúscula em artigos, conjunções e preposições, a menos que contenham 4 ou mais letras.

As legendas das colunas devem ser centralizadas (inclusive a da primeira coluna) e só se usa maiúscula na primeira palavra. As legendas das filas se justificam à esquerda e só se usa maiúscula na primeira palavra.

As cifras com decimal devem ter o mesmo número de decimais e, se possível, não mais de dois (a menos que a informação o exija). As cifras no corpo da tabela devem ser centralizadas, mantendo o alinhamento dos números à direita. Quando as cifras tem decimal, devem ser alinhadas na vírgula do decimal, e quando as cifras se escrevem com ponto nos milésimos, devem ser alinhadas no ponto.

As notas para as tabelas devem ser localizadas abaixo da tabela correspondente e o tipo de letra deve ser de tamanho um ponto menor  que o usado no corpo da tabela. As notas devem ser ordenadas na seguinte sequência: nota geral, nota específica, nota de probabilidade.

a)
As notas gerais sobre a tabela devem ser indicadas pela palavra Nota (em itálico), seguida de um ponto em itálico.
b)
As notas específicas sobre uma coluna, fila ou entrada particular devem ser indicadas por meio de superíndices em letras minúsculas; no corpo da tabela devem ser ordenadas de maneira horizontal, da esquerda à direita através da tabela por filas.
c)
As notas de probabilidade se assinalam com asteriscos e indicam os valores pelos quais se recusa a hipótese nula, especificando a probabilidade (valor p). Deve-se colocar o mesmo número de asteriscos para um nível alfa dado de uma tabela a outra no interior do artigo, recebendo o menor número de asteriscos a probabilidade maior.Ejemplo: *p < 0,05, **p < 0,01, ***p < 0,001.

Todas as tabelas devem ser numeradas com números arábicos na ordem em que se mencionam pela primeira vez dentro do texto. Além disso, cada tabela deve contar com um título conciso, porém claro e explicativo.

Todas as tabelas devem ser citadas no texto permitindo assinalar ao leitor o que é que deve buscar, referindo-se a elas por seus números. Exemplo: “… (ver Tabela 1)” ou “ Na tabela 1 pode-se observar que ….”.

Ao publicar o artigo, as tabelas anexadas em folhas à parte se incluirão no texto. Por conseguinte, no documento, deve especificar-se onde, aproximadamente, se deseja inserir cada tabela, da seguinte forma:

[Inserir Tabela 1 aprox. aqui ]

Exemplos de Tabelas

É uma tabela pequena, por isso o tamanho da  fonte é 10.
Centralizar as etiquetas e os valores nas celas, mantendo o alinhamento dos números à direita.
Deixar 4 pontos de espaço antes e depois das etiquetas de colunas.
Deixar 3 pontos de espaço antes e depois das etiquetas de filas.
Deixar 2 pontos de espaço entre a tabela e a nota.
A nota tem fonte um tamanho menor que a fonte do corpo da tabela (9 pontos).

É uma tabela média, portanto o tamanho da fonte é 9.
Centralizar as etiquetas e os valores nas celas, mantendo o alinhamento dos números à direita.
Deixar 4 pontos de espaço antes e depois das etiquetas de colunas.
Deixar 3 pontos de espaço antes e 2 pontos de espaço depois na primeira fila do corpo da tabela.
Deixar 2 pontos de espaço antes e depois das seguintes filas, com exceção da última.
Deixar 2 pontos de espaço antes e 3 pontos  de espaço depois da última fila.
Deixar 2 pontos de espaço entre a tabela e a nota.
A nota tem fonte um tamanho menor que a fonte do corpo da tabela (8 pontos).

É uma tabela grande, portanto o tamanho da fonte é 8.
Centralizar as etiquetas e os valores nas celas, mantendo o alinhamento dos números à direita.
Deixar 4 pontos de espaço antes e depois das etiquetas de colunas.
Deixar 3 pontos de espaço antes e 1 ponto de espaço depois na primeira fila do corpo da tabela.
Deixar 1 ponto de espaço antes e depois das seguintes filas, com exceção da última.
Deixar 1 ponto de espaço antes e 3 pontos de espaço depois da última fila.
Deixar 2 pontos de espaço entre a tabela e a nota.
A nota tem fonte um tamanho menor que a fonte do corpo da tabela (7 pontos).

Figuras

Se entende por figura qualquer tipo de ilustração distinto de uma tabela. Assim, uma figura pode ser um gráfico, uma fotografia, um desenho, um mapa ou um diagrama.

           
Numerar todas as figuras em forma sequencial, com números arábicos, na ordem em que se mencionam no texto. Igualmente, dentro do texto, referir-se às figuras por seus números. Exemplos: “Tal como se mostra na Figura 3 …”ou “… (ver Figura 3)”. A figura deve ser centralizada na página.
           

Abaixo da figura deve ser colocado seu número (em itálico) e título (letra normal) depois de um ponto em itálico e um espaço. Só se usa maiúscula na primeira letra da primeira palavra e as primeiras letras dos nomes próprios e título. O título explica a figura em uma frase curta, porém descritiva, e deve ser incluído abaixo da figura, sem formar parte da mesma. Por isso, deve-se suprimir qualquer título anterior ao da figura. Exemplo:

Figura 1. Distribuição dos estilos de apego na amostra.           

A legenda explica os símbolos que se utilizam na figura e deve ser incluída dentro da mesma como parte integral (se usa maiúscula em palavras principais e palavras de 4 ou mais letras). 

Após a frase descritiva deve-se incluir qualquer informação  necessária para entender claramente a figura (não como Nota, mas logo após o título). Exemplo:

Figura 1. Distribuição dos estilos de apego na amostra. Os estilos de apego são: seguro (S), inseguro esquivo (IE), inseguro ambivalente (IA) e inseguro desorganizado (ID).

O leitor não deveria referir-se ao texto para decifrar sua mensagem. Sempre explicar as unidades de medida, símbolos e abreviaturas que não estejam incluídas na legenda.

Deve-se proporcionar aos editores da Revista a figura, e o programa na qual foi elaborada, para efeitos de edição caso seja necessário.

Relatório de Informação Estatística           

Todos os símbolos de estatísticas e parâmetros devem ser escritos em itálico (exemplos: M, DE, t, p, r , F, N) salvo os que se escrevem com letra grega (exemplos: β, χ2), os superíndices e os subíndices não estatísticos de símbolos estatísticos (Fmax, SA + SB).

Deve-se entregar suficiente informação para permitir ao leitor compreender plenamente  a análise realizada. A informação relatada deve permitir ao leitor confirmar as análises básicas e dar possíveis explicações alternativas aos resultados. Portanto, além dos resultados básicos referidos à prova da hipótese nula, deve-se entregar maior informação, como o tamanho dos efeitos, intervalos de confiança e outras descrições adicionais para compreender o significado dos resultados.

Média e desviação estándar. Quando se relata (seja no texto ou entre parênteses) o valor da média, este sempre deve ser acompanhado da desviação estándar. Exemplo: A média da idade foi de 35 anos (DE = 6,8)

Chi-quadrado. Quando se relatam os resultados de Chi-quadrado, além do valor de χ2, devem-se assinalar os graus de liberdade, o tamanho amostral e a probabilidade exata de erro a, como se assinala no seguinte exemplo: A amostra incluiu 30 solteiros, 54 casados, 26 separados e 16 viúvos. Estas frequências foram significativamente diferentes, χ2 (3, N = 126) = 10,1, p = 0,017. Alguns programas estatísticos só entregam um número limitado de decimais para p e muitas vezes o valor entregue é 0,000 ou 0,00. Como p  é uma probabilidade e não uma certeza, nesses casos deve-se consignar p < 0,001 ou p < 0,01, respectivamente. Ao calcular χ2, muitas vezes uma ou mais celas têm frequências esperadas menores que cinco, o que aumenta o valor deste. Se este é o caso, deve-se assinalar a quantidade de celas que tiveram frequências esperadas menores que cinco.

Correlação r de Pearson. Quando se relatam os resultados da correlação r de Pearson, além do valor de r, deve-se assinalar  o tamanho amostral usado para calcular a correlação (entre parênteses sem espaço entre r e o parênteses) e a probabilidade exata de erro. Exemplo: A correlação entre ambas variáveis foi altamente significativa, r(365) = 0,32, p = 0,008. O mesmo comentário sobre o valor de p entregue pelos programas estatísticos vale neste caso.

Quando se inclui uma tabela com as correlações, deve-se acrescentar uma coluna para assinalar a probabilidade exata de erro de cada correlação. Outra alternativa é assinalar ao pé da mesma a probabilidade de erro de cada correlação, em geral com asteriscos: *para p < 0,05, ** para p < 0,01 e *** para p < 0,001.

Prova de Student. Quando se relatam resultados de uma prova de Student, além do valor  de t,  devem-se assinalar os graus de liberdade (entre parênteses sem espaço entre t e o parênteses), a probabilidade exata de erro (quando a prova é bilateral não é necessário assinalá-lo; quando é unilateral deve ser assinalado), alguma medida do tamanho do efeito (força da associação entre as variáveis), como d de Cohen, e o intervalo de confiança das diferenças (IC) entre colchetes, separados os limites inferior e o limite superior por uma vírgula e espaço precedido pelo nível de segurança. O nível de segurança deve ser uniforme em todo o texto e tabelas correspondentes. O mesmo comentário sobe o valor de p entregue pelos programas estatísticos vale neste caso. Exemplos:

Os participantes no programa foram de uma idade significativamente maior (M = 24,24, DE = 2,63, n = 17) que no grupo controle (M = 20,65, DE = 2,52, n = 20), t(35) = 4,23, p < 0,001, d = 1,39, 95% IC [1,86, 5,31].

Depois do tratamento para a ansiedade, o grupo experimental teve uma média menor na pontuação de ansiedade (M = 20,46, DE = 2,11, n = 13) que o grupo que não recebeu o tratamento (M = 24,00, DE = 3,06, n = 13) , donde se pode concluir  que o tratamento  teve efeito na diminuição dos níveis de ansiedade, t(24) = -3,44, p = 0,004 (unilateral), d = -1,35, 99% IC [-6,42, -0,66].

Análise de Variância. Pode ser de um fator ou mais fatores (fatorial)

De um fator. Quando se relatam os resultados de uma análise de variância de um fator, além do valor da razão F, devem-se assinalar os graus de liberdade do numerador e denominador (entre parênteses separados por vírgula e sem espaço entre o valor F e o parênteses), a probabilidade  exata de erro a, alguma medida do tamanho do efeito (força da relação), que pode ser Eta ao quadrado (η2) ou o coeficiente de determinação (r2), e o intervalo de confiança para a media de cada condição (IC) em colchetes, separados o limite inferior e o limite superior por uma vírgula e espaço, precedido pelo nível de segurança. Não é necessário repetir o nível de segurança para o intervalo de confiança da média em cada condição. Além disso, deve-se assinalar as médias, desviações estándar e tamanhos amostrais para cada cela (condição) e os resultados da análise de homogeneidade das variâncias e da análise de hipótese post hoc. Exemplo:

Os 12 participantes aos quais se administrou uma dose alta tiveram um tempo de reação de 12,6 segundos (DE = 1,4); os nove participantes que receberam uma dose moderada tiveram um tempo de reação de 7,7 segundos (DE = 2,1) e os oito participantes do grupo de controle tiveram uma média de 6,1 segundos (DE = 1,1). A estatística de Levene (1,54, p = 0,23) permite concluir que as variâncias dos três grupos podem ser consideradas iguais. O efeito da dose, portanto, foi altamente significativo, F(2, 26) = 46,24, p < 0,001, r2 = 0,78, 95% ICs [11,7, 13,5], [6,0, 9,3] e [5,2, 7,1], respectivamente. A prova de Scheffe revelou que as diferenças se produzem entre o grupo que recebeu uma dose alta e os outros dois (p < 0,001), enquanto que o grupo que recebeu uma dose moderada não conseguiu diferenciar-se significativamente do grupo de controle (p = 0,157).

Fatorial. Quando se relatam os resultados de uma análise fatorial de variância, além do valor da razão F, deve-se assinalar os graus de liberdade do numerador e denominador (entre parênteses separados por vírgula e sem espaço entre o valor F e o parênteses), a probabilidade exata de erro a, alguma medida de tamanho dos efeitos, que pode ser Eta parcial ao quadrado (ηp2) ou o coeficiente de relação múltipla ao quadrado (R2), e o intervalo de confiança para a media de cada efeito (IC) em colchetes, separados o limite inferior e o limite superior por uma vírgula e espaço, precedido pelo nível de segurança. Além disso, deve-se assinalar as médias, desviações  estândar e tamanhos amostrais para cada cela (condição) Quando há muita informação, é preciso consigná-la em uma tabela, sem repeti-la, mas referir-se a ela no texto.

Regressão linear. Quando se relatam os resultados de uma mesma regressão linear, deve-se consignar os pesos estandardizados  (betas) e suas probabilidades associadas (p), assim como o coeficiente de correlação múltiplo ao quadrado (R2) e a razão F, com seus correspondentes graus de liberdade do numerador e denominador (entre parênteses separados por vírgula e sem espaço entre o valor F e o parênteses), a probabilidade exata de erro (p) e o intervalo de confiança para os betas (IC) em colchetes, separados o limite inferior e o limite superior por uma vírgula e espaço, precedido pelo nível de segurança. Não é suficiente dizer que explica uma porcentagem da variância, deve-se assinalar a variância de quê variável  ou construto explica. Exemplo:

As pontuações de êxito foram regressadas considerando o tamanho do curso e a quantidade de tarefas atribuídas. Estes preditores explicaram quase a metade da variância da pontuação do teste de êxito (R2 = 0,49), sendo muito significativo, F(2, 289) = 12,5, p = 0,005. Tanto a quantidade de tarefas atribuídas, β = 0,46, p = 001, 95% IC [0,39, 0,55], como o tamanho da classe, β = 0,28, p = 0,014, 95% IC [0,20, 0,35], demonstraram efeitos significativos nas pontuações de êxito.

Valores perdidos (missing). Qualquer que seja a análise que se relate, devem ser assinalados os valores perdidos, seja como frequência absoluta ou relativa e, assinalar como se trataram na análise e como afetaram os resultados.

Aspectos Éticos

Os seguintes aspectos éticos devem ser considerados:

Relato de erros. Se o autor de um artigo percebe, depois de enviá-lo a revista ou depois de publicado, que cometeu algum erro nas análises ou interpretações dos dados, está obrigado a comunicá-lo à revista. Da mesma forma, o autor não deve esconder informação que possa parecer problemática em sua investigação, e sim deve relatá-la.

Retenção de dados. O autor de um artigo deve estar disposto a prover a informação que o editor da revista solicite. Se não o faz, se expõe a que seu artigo não seja publicado. Uma vez publicado o artigo, seu autor deve estar disposto a prover os dados a outros investigadores qualificados que o solicitem com o propósito de confirmar a análise e os resultados. Os dados devem estar a disposição por pelo menos cinco anos posteriores à publicação do artigo.

Duplicação de dados. A duplicação de dados está proibida e se refere ao relato dos mesmos dados ou idéias em duas ou mais fontes. Se existe uma leve duplicação, o autor deve assinalá-lo na Nota do Autor. Da mesma forma, se com a informação obtida de uma investigação se elaborarão vários artigos, o autor deve comunicá-lo ao editor da revista para que este determine se corresponde ou não publicar vários artigos ou se a informação obtida deve ser provida toda em um mesmo artigo. Se vão ser reutilizadas tabelas ou figuras que já tenham sido usadas em outros artigos, o autor deve indicá-lo expressamente em uma nota de rodapé.

Plagio e auto-plagio. O investigador deve dar crédito a todas informações e idéias de outros, parafraseando ou citando corretamente o autor das mesmas.  Da mesma forma, se o estudo obedece a uma sugestão dada por outro autor nas conclusões  de seu artigo, também deve ser reconhecido. Além disso, não deve haver auto-plagio, isto é, assinalar  informação, termos ou idéias como originais se já foram expostas em outra obra. Se houver qualquer necessidade de referir-se a elas, deve-se deixar expressamente clara a fonte original.

Direitos e confidencialidade dos participantes. O investigador deve seguir e relatar em seu artigo os padrões éticos utilizados com os participantes  no estudo. Não fazê-lo pode justificar a não publicação do artigo ou sua retratação depois de publicado. Especial cuidado deve ser tomado com a confidencialidade da informação entregue pelos participantes e o resguardo de sua identidade ou de seus familiares.

Conflito de interesses.  O autor de um artigo deve indicar na Nota do Autor qualquer situação que os leitores possam interpretar como conflito de interesses, por exemplo, ter o direito autoral de algum instrumento utilizado na investigação ou enviesar a apreciação do mesmo sobre outros instrumentos.

Utilização de instrumentos, procedimentos ou dados não publicados.   Se é usado um instrumento ou procedimento cujo autor é outra pessoa, o autor do artigo deve solicitar seu consentimento para usá-lo, relatando-o em uma nota de rodapé onde seja pertinente.

Utilização de instrumentos, procedimentos ou dados com direito autoral ou marca registrada.  Se o instrumento ou procedimento tem direito autoral ou marca registrada, deve-se relatar no artigo o consentimento outorgado pelo autor, o pagamento de royalty ou de outro tipo que signifique o uso do mesmo. Está estritamente proibido utilizar algum instrumento ou procedimento com direito autoral sem o consentimento do autor valendo-se de técnicas como a reprodução fraudulenta.

Citações de Referências no Texto

Citações não textuais. Tudo o que não pertença aos autores do artigo deve ser citado ao longo do texto, assinalando o autor ou autores correspondentes e o ano da publicação da obra revisada. Estes dados devem coincidir exatamente com a obra que aparece na lista de referências alfabética no final do artigo. Exemplo: … idéia não textual (Rogers, 1994). Não se devem incluir sufixos, tais como Jr.

Se o trabalho citado tem até cinco autores, na primeira vez que se apresente a referência deve-se escrever todos os nomes, seguidos do ano de publicação. Nas vezes seguintes, se são um ou dois autores se nomeiam todos; se são de três a cinco, coloca-se o sobrenome do primeiro autor, seguido de “et al.” e o ano. Se são seis ou mais autores, tanto na primeira vez como nas seguintes põe-se o sobrenome do primeiro autor seguido de “et al.” e o ano. Exemplo: … idéia não textual (Payne, Whitehurst & Angell, 1994). Segunda vez e seguintes: ... idéia não textual (Payne et al.,1994). Exceção: quando se citam duas referências juntas de mais de três autores com o mesmo ano, a citação se diminui assinalando o primeiro autor até os demais necessários para distinguir as duas referências, seguido de et al. Exemplo: Se as referências são Castro, Zúñiga, Pereira, Valdivia y Ossandón (2001) y Castro, Zúñiga,Silva, Valdivia y Montero (2001), a citação deve ser: (Castro, Zúñiga, Pereira et al., 2001; Castro, Zúñiga, Silva et al., 2001). Se os anos de publicação são diferentes, não se aplica a exceção.

Se a citação corresponde a obra de uma instituição, a primeira vez que apareça citada deve aparecer o nome completo da instituição, seguido da sua sigla entre colchetes. As seguintes vezes que se cite, somente se indica a sigla. Não usar a sigla se não se mencionará mais o nome da instituição ao longo do texto. Exemplo: ...idéia não textual (Fundação Educacional Arauco [FUNDAR], 2004). Segunda vez e seguintes: ...idéia não textual (FUNDAR, 2004).

Se são citadas várias obras relativas a uma idéia, os autores são dispostos dentro do parêntese em ordem alfabética e separados por ponto e vírgula. Exemplo: …idéia não textual (Jonson, 1997; Parkin, 1996; Spencer & Raz,1994)

Se é citado algum autor referido na obra de outro, indica-se primeiro o autor ao qual se faz referência e o ano, seguido por "citado em…" e o nome do autor e ano da obra em que foi citado. Em Referências deve-se ingressar a obra do autor principal que foi efetivamente revisada, não a do autor citado. Entretanto, é recomendável que, quando possível, se leia e cite a obra original. Exemplo… idéia não textual (Kobak, 1989 citado em Crowell & Treboux, 1995). Kobak (1989, citado em Crowell & Treboux, 1995) assinala que …

Se são citadas duas ou mais obras do mesmo autor, indica-se somente uma vez seu/s nome/s e ordenam-se os anos de publicação no parêntese, partindo do mais antigo ao mais novo, separados por vírgulas. Exemplo: … idéia não textual (Bandura, 1969, 1973, 1977)

Quando se citam trabalhos de um mesmo autor (ou trabalhos de dois ou mais autores na mesma ordem) com a mesma data de publicação, deve-se identificar pelos sufixos a, b, c após o ano. Estes sufixos se colocam na lista de referências, de acordo à ordem alfabética dos títulos das obras. Exemplos: Varela (2000a) assinala que …; … idéia não textual (Varela, 2000a, 2000b)

Quando se citam obras de autores em que o primeiro autor e a data são iguais mas os outros autores são diferentes, a primeira vez que se citam se colocam todos os sobrenomes (se são cinco ou menos) e para diferenciá-las, a segunda ou mais vezes, se escreve o primeiro e segundo autor, seguido do ano. Exemplos: Roberts, Ferguson, MacDonald y Morris (1992) acreditam que... (primeira citação). Roberts, Ferguson et al. (1992) (segunda citação). Roberts,  Rock, Levy, Merton Y Jones (1992), ao contrário, assinalam que... (primeira citação). Texto... (Roberts, Rock et al. 1992) (segunda citação).

Quando se citam duas obras com a mesma data de autores com o mesmo sobrenome (mas que correspondam a diferentes autores), anota-se a inicial do nome para diferenciá-las. Exemplos: (Y. Mergusen, 1991); (S. E. Mergusen,1991).

Quando se citam duas obras de autores com mesmo sobrenome e a mesma primeira letra do nome (mas que correspondam a autores diferentes), anota-se o nome completo de cada um, para diferenciá-los. Exemplos: (Paul Janet, 1876), (Pierre Janet, 1906)

Quando se cita uma obra traduzida ou republicada,  põe-se o ano da obra original, barra diagonal, ano da obra republicada. Exemplo: (Freud 1900/1953)

Quando a obra tem vários volumes com anos diferentes e se citam todos, põe-se o primeiro ano-último ano. Exemplo: (Koch, 1959-1963)

Quando se trata de alguma palestra ou conferência de um congresso, seminário ou outro evento similar, além do ano se anota o mês (começando com maiúscula). Exemplo: (Hoffman, L. & Goolishian, 1989, Junho).

Quando se trata de um artigo lido em um jornal, boletim ou noticiário escrito, põe-se a data exata de quando foi escrito. Exemplo: (Arrigo & Welch, 2008, Julho 22).

Quando um trabalho não tem autor, inclusive mesmo tratando-se de material legal, cite no texto as primeiras palavras do título e o ano. Quando se trata do título de um artigo ou capítulo, este deve ir entre aspas; tratando-se de uma revista, livro ou relatório, o nome do mesmo deve estar em itálico. Exemplos: … Idéia não textual ("Study Finds", 1982); … Conforme se assinala no livro College Bound Seniors (1979).

Se a data da publicação não se aplica, tal como em livros muito antigos, cite o ano da tradução que utilizou, precedido por trad., ou o ano da versão que utilizou, seguido de versão. Exemplo: (Aristóteles, trad., 1931). Quando se conhece a data da publicação original, esta deve ser incluída na citação. Exemplo: (Castelleto, 1890/1995).

Para citar uma parte específica de uma fonte, deve-se indicar a página, capítulo, figura, tabela ou equação. Abrevia-se página mas não capítulo. Exemplos: (Organização Mundial de Saúde, 2004, p. 15); (Portales, 2005, Capítulo 4).

Quando se trata de uma comunicação pessoal, põe-se a primeira letra do nome, o sobrenome, comunicação pessoal e a data precisa. Dado que não é possível recuperar a informação de uma comunicação pessoal, não se inclui nas Referências. Exemplo: (J. Smith, comunicação pessoal, Agosto 15, 2001)

Citações textuais. Se a idéia citada é textual, esta deve ser colocada entre aspas e indicar o número de página da obra da qual foi extraída. Quando se omite parte do texto na citação, o texto omitido é substituído por (...). Quando se adiciona algo à citação que não corresponda ao autor, deve-se colocar entre colchetes. Exemplos:

“Os homens atuam no mundo e o transformam, e por sua vez são transformados pelas consequências dos seus atos“(Skinner, 1981a, p. 11)…

Skinner (1981a) afirma que “ os homens atuam no mundo e o transformam, e por sua vez são transformados pelas consequências dos seus atos” (p. 11)…

“A incorporação da mulher no mercado de trabalho (...) é a ação explicativa mais importante na configuração modal da família chilena” (Muñoz, Reyes, Covarrubias & Osorio, 1991, p.29).

Se a citação corresponde a uma fonte eletrônica que não indique números de página, utilizar o número de parágrafo se está disponível antecedido pela abreviatura "par.". Quando não há números de parágrafo visíveis, deve colocar-se o subtítulo ou seção na qual aparece a citação e o número do parágrafo dentro do subtítulo. Exemplos: ... idéia textual (Myers, 2000, párr. 5); ... idéia textual (Beutler, 2000, Conclusiones, párr. 1)

Se a citação é de mais de 40 palavras, esta deve começar em outra linha, com sangria de 0,63 cm na margens esquerda e direita para todo o bloco, deixando um espaço de 3 pontos antes e depois da citação. Deve-se omitir as vírgulas e citar a fonte correspondente entre parênteses depois do ponto final. Não se usa ponto depois do parêntese. Exemplo:

A respeito, Berman (1998) assinala que:

Os colégios tiveram que relegar este vital resultado às matérias sociais do currículo, nas quais a participação democrática é geralmente ensinada através de leituras e textos mais do que envolvendo a gente jovem em atividades que contribuam ao bem-estar de outros e da sociedade. (p. 27)

Referências

As referências citadas no texto devem aparecer na lista de referências e cada entrada nesta lista deve ser citada no texto. Além disso, deve haver total coincidência na ortografia na escritura e ano das citações em ambas partes do artigo. Não se incluem nas Referências as comunicações pessoais nem as obras clássicas, como livros religiosos clássicos ou obras antigas romanas ou gregas.

Ordem da lista de referências. As entradas na lista de referências devem ser dispostas em estrita ordem alfabética pelo sobrenome do primeiro autor. Quando a referência não tem autor, vale o título do artigo (a primeira palavra significativa, omitindo os artigos).

a)

As entradas de um mesmo autor (ou autores na mesma sequência) se ordenam pelo ano de publicação, localizando primeiro o mais antigo.
Etzioni, A. (1999).
Etzioni, A. (2000).

b)

As entradas de um só autor precedem às de um autor múltiplo com o mesmo primeiro autor.
Wilson, J. (2000).
Wilson, J. & Musick, M. (1997).

c)

As entradas com o mesmo primeiro autor e seguintes autores diferentes, ordenam-se alfabeticamente pelo sobrenome do segundo autor e assim sucessivamente.
Marconi, J., Díaz, J. & Mourgues, C. (1980).
Marconi, J. & Muñoz, L. (1970).

d)

As entradas de um mesmo autor (ou autores na mesma sucessão) com idêntica data de publicação, se ordenam segundo a ordem em que foram citados. Imediatamente depois do ano, dentro do parênteses, são incluídas as letras em minúsculo que indicam a ordem, e, com as quais são identificadas as referências dentro do texto.
Kaufman, J. R. (1990a). Control...
Kaufman, J. R. (1990b). Funciones de los...

e)

As entradas que correspondam a autores corporativos se ordenam de acordo com a primeira palavra significativa do nome da organização, associação ou instituição. Deve-se utilizar os nomes oficiais completos e não as abreviaturas.

American Psychological Association (1994)
Organização das Nações Unidas (2008).

Quando se trata de um ministério ou instituição que pode denominar-se da mesma forma em vários países, se anota primeiro o país e depois a instituição precedida de vírgula. Se o autor corresponde a uma dependência ou subdivisão da instituição principal, esta se assinala no editor.

Chile, Ministério de Educação (2003), Título da obra. Santiago, Chile: Autor, Departamento de Estudos e Estatística.

f)

Se o trabalho não tem autor, se desloca o título para a posição do autor e a entrada é alfabetizada pela primeira palavra significativa do título (sem considerar os artigos).

Por exemplo, se se trata do dicionário "The Merriam-Webster’s collegiate dictionary", a entrada em Referências deve seguir a palavra "Merriam" e não “The” como segue:

Martín (2008)

The Merriam-Webster’s collegiate dictionary(10a ed., 1993).

Elaboração das referências de acordo ao tipo de trabalho. Deve-se proporcionar o sobrenome e a inicial do nome (duas – ou três - iniciais quando o autor tem dois - ou três nomes ou tem um nome e uma inicial – ou iniciais -, como frequentemente acontece com autores estadunidenses) para todos os autores desde que sejam sete ou menos.

Se os autores são sete ou menos, se anotam todos os autores. Exemplo: Vinet, E., González, M. E., Alarcón, P., Salvo, S., Pérez, V. & Díaz, A. (2004).

Se os autores são oito ou mais, se incluem os primeiros seis autores, depois se insertam três  pontos (...) e se acrescenta o nome do último autor. Exemplo: Se os autores de um trabalho são Sadek, J., Johnson, S., White, D., Salmon, D., Taylor, K., Paulsen, J., Heaton, R & Grant, I., a entrada deste trabalho em Referências será como segue:

Sadek, J., Johnson, S., White, D., Salmon, D., Taylor, K., Paulsen, J. ... Grant, I. (2002).

Após cada inicial se coloca um ponto. Utiliza-se vírgula para separar os sobrenomes e iniciais dos autores e um “&” antes do último autor. Exemplo: Clark, M., Rosen, G., Tallal, P. & Fitch, R. (2000).

Se os autores tem o mesmo sobrenome e a inicial do nome é a mesma, se anota entre colchetes o nome de cada um. Exemplo: Janet, P. [Paul]. (1876). La notion de la personnalité. Revue Scientifique, 10, 574-575. Janet, P. [Pierre]. (1906). The pathogenesis of some impulsions. Journal of Abnormal Psychology, 1, 1 – 17.

Com o objetivo de destacar o sobrenome do primeiro autor, a segunda linha e as seguintes de cada referência devem apresentar-se sangria esquerda de 0,63 cm.

a) Publicações periódicas

-Artigo em revista científica

Coloca-se o sobrenome do autor, uma vírgula, um espaço, a letra inicial do nome seguida de um ponto, espaço, ano de publicação entre parênteses, ponto, espaço, título do artigo, ponto. O título se escreve sem itálico e com maiúscula somente a primeira palavra, com exceção dos nomes próprios ou nomes de instrumentos específicos;  em seguida se inclui em itálico o nome da revista com as palavras principais em maiúscula, vírgula em itálico, espaço, o número do volume da revista em itálico e números arábicos, vírgula em itálico, espaço, as páginas separadas por hífen em letra normal e ponto. Em seguida coloca-se o Identificador Digital do Objeto (doi) se o tem atribuído. Este se escreve doi:xxxxxxx (depois dos dois pontos, depois de doi não se usa espaço e ao final não há ponto.

Quando o título contém dois pontos (:), se está escrito em inglês, a primeira palavra depois dos dois pontos se inicia com maiúscula; se está escrito em espanhol, se inicia com minúscula.

Quando os títulos originais são em idiomas distintos ao espanhol ou inglês, usa-se o título no idioma original e, entre colchetes, a tradução em espanhol.

Se a revista tem mais de um número de cada volume e a paginação dos mesmos começa em cada número com a página 1, ao lado do número do volume deve-se colocar entre parênteses o número correspondente em letra normal. No caso em que a numeração de cada número do volume seja consecutiva, não se põe entre parênteses o número correspondente. Exemplos: Griffiths, T. L. & Tenenbaum, J. B. (2009). Theory-based causal induction. Psychological Review, 116, 661-716. doi:10.1037/a0017201 [com doi atribuído]

Greenwald, A. G. & Banaji, M. R. (1995). Implicit social cognition: Attitudes, self-esteem, and stereotypes. Psychological Review, 102, 4-27. [sem doi atribuído]

Seguel, X., Correa, M. & De Amesti, A. (1999). Pauta de observación de prácticas docentes: estudio de sus características psicométricas. Psykhe, 8(2), 103-110. [sem doi atribuído]

Bölte, S. (2009). Die ICF und ihre Relevanz für die Kinder-unJugendpsychiatrie [El ICF y su significado para la psiquiatría infantil y juvenil]. Zeitschrift für Kinder- und Jugend-psychiatrie und Psychotherapie, 37, 495-497. doi:10.1024/1422-4917.37.6.495 [com doi atribuído]

Se o artigo foi lido em Internet e tem atribuído doi, se anota da mesma forma como se o artigo tivesse sido lido em sua forma impressa: Exemplo: Gempo, R., Dengri, M., Caprile, C., Cortés, L., Quesada, M. & Sepúlveda, J. (2006). Medición de la alfabetizacion económica en niños: oportunidades diagnósticas con el modelo de crédito parcial. Psykhe, 15 (1), 13-27. doi:10.4067/s0718-22282006000100002

Se o artigo foi lido em Internet e NÃO tem atribuído doi, se deve proporcionar a direção eletrônica da página Web da revista. Se não foi lido no sítio Web da revista, se deve proporcionar a direção exata do lugar onde foi lido. Não é necessário consignar a data de extração. Exemplos: VandenBos, G., Knapp, S. & Doe, J. (2001). Role of reference elements in the selection of resources by psychology undergraduates. Journal of Bibliographic Research, 5, 117-123. Extraído de http://jbr.org/articles.html. Matus, C. (2005). El carrete como escenario. Una aproximación etnográfica a los códigos de la sexualidad ocasional en jóvenes urbanos. Última Década, 13(22), 9-37. Extraído de http://redalyc.uaemex.mx/src/inicio/ArtPdfRed.jsp?iCve=19502202

Se a revista não tem o número do volume expresso mas somente o mês ou estação do ano, em vez do número do volume coloca-se o mês ou estação do ano em itálico, seguido de vírgula em itálico, ou publicação especial. Exemplo: Thompson, L. & Walker, A. (1982). The dyad as the unit of analysis: Conceptual and methodological issues. Journal of Marriage and the Family, November, 889-900. [sem doi atribuído]. Paredes, A., Micheli, C. G. & Vargas, R. (1995). Manual de Rorschach clínico.

Revista de Psiquiatría Clínica, Suplemento Especial. [sem doi atribuído]

-Número ou seção especial em uma revista científica

Coloca-se o sobrenome do editor, uma vírgula, um espaço, a inicial ou iniciais do nome (se é mais de uma inicial, se separam com ponto e espaço) seguido de um ponto, (entre parênteses Eds.), ponto, ano de publicação parênteses, ponto, espaço, título do tema ou seção, em colchetes [Número especial ou Seção especial], ponto. O título do número ou seção não usa itálico e usa maiúscula somente na primeira palavra, com exceção de nomes próprios ou nomes de instrumentos específicos; em seguida se inclui em itálico o nome da revista com as palavras principais em maiúscula, vírgula em itálico, espaço, o volume da revista em itálico e número arábicos, vírgula em itálico, espaço, as letras separadas por hífen em letra normal e ponto (no caso de uma seção). Exemplo: Frank, M. J. & Daw, N. D. (Eds.). (2009). Reinforcement learning and higher cognition [Número especial]. Cognition, 113.

-Artigo em revista não especializada
    
Junto ao ano, entre parênteses, deve-se indicar a data expressa na publicação, o mês, para o caso das publicações mensais, e o dia e o mês para as semanais. Após o nome da revista se inclui, igualmente, o número do volume e as páginas. Exemplo: Posner, M. I. (1993, 29 de Outubro). Seeing the mind. Science, 262, 673-674

Se o artigo é extraído da Internet, não se indicam as páginas mas sim o endereço eletrônico. Exemplo: Behnke, S. (2009, Noviembre). A terminally ill patient’s last request. Monitor on Psychology,  40(10). Extraído de http://www.apa.org/monitor

-Artigo sem autor de um boletim de notícias (Newsletter) na Internet

Quando o autor do artigo não está identificado, se começa a referência com o título do documento no lugar do autor, em seguida o ano e o mês entre parênteses, ponto, o nome do Boletim de Notícias em itálico, ponto. Após se acrescenta o endereço exato de onde se extraiu o documento. Exemplo:

Speaking out: UN study on violence against children (2005, Febrero). What Young People Are  Saying. Extraído de http://www.unicef.org/voy/media/news.2005-02.pdf

-Artigo de jornal ou periódico

Coloca-se o sobrenome do autor, uma vírgula, um espaço, a inicial do nome seguida de um ponto, espaço, data de publicação (ano, vírgula, espaço, mês em maiúscula e dia da publicação) entre parênteses, ponto, espaço, título do artigo, ponto. O título do artigo aparece sem itálico e com maiúscula somente na primeira palavra. Após um espaço após o ponto, inclui-se em cursiva o nome do jornal ou periódico com as palavras principais em maiúscula, vírgula em itálico, espaço, "p", ponto, espaço e os números da página. Se é de mais de uma página, coloca-se "pp", ponto, espaço e os números de página separados por um hífen. Se as páginas são descontinuadas se separam por uma vírgula. Exemplos: Artaza, J. (1995, Abril 13). Juventud y vocación. El Mercurio, p. C1. Schwartz, J. (1993, Septiembre 30). Obesity affects economic, social status. The Washington  Post, pp. A1, A4.

Se o periódico ou jornal é uma publicação da Internet e o artigo não tem número de página, em vez desta se ingressa a seção onde está incluído o artigo ou notícia. Além disso, deve-se assinalar  o endereço de Internet de onde se extraiu. Não se deve pôr a data da extração. Exemplo: Schmitt, E. & Shanker, T. (2005, Diciembre 25). U.S., citing abuse in Iraqi prisons, holds detainees. The New York Times, International. Extraído de http://www.nytimes.com/2005/12/25/international/middleeast/25detain.html?pagewanted=1&_r=1

-Um abstract ou resumo

Ainda que seja preferível citar o texto completo de um artigo, se se cita um abstract ou  resumo, deve-se colocar entre colchetes que se trata de um Abstract ou Resumo, a base de dados utilizada (e o número de acesso) ou o endereço eletrônico de onde se extraiu. Exemplo: Krane, E. & Tannock, R. (2001). WISC-III third factor indexes learning problems but not attention deficit/hyperactivity disorder [Abstract]. Journal of Attention Disorders, 5(2), 69-78. Resumo extraído da base de dados de PsycINFO. (Acesso Nº 234567).

Tobin, D. D., Menon, M. [Meenakshi], Menon, M. [Madhavi], Spatta, B. C., Hodges, E. V. E. & Perry, D. G. (2010). The intrapsychics of gender: A model of self-socialization [Abstract]. Psychological Review, 117, 601-622. Resumo extraído de http://www.sciencedirect.com

b) Livros

-Livro completo

  • Impresso

Coloca–se o sobrenome do autor, uma vírgula um espaço, a/s inicial/ais do nome seguida de um ponto, espaço, ano da publicação entre parênteses, ponto, espaço, título do livro em itálico e somente com maiúscula na primeira palavra e na primeira letra dos nomes próprios, ponto, espaço, cidade de publicação, país de publicação, dois pontos, espaço, editora, ponto, espaço, cidade de publicação, dois pontos, espaço, editora e ponto. A cidade é escrita no idioma do país a que pertence e o país correspondente em espanhol. No caso das obras escritas nos Estados Unidos, não ponha o país mas sim as siglas do estado a que pertence a cidade. Na editora coloque o nome mais curto possível que seja inteligível, omitindo termos tais como Publishers, Co., Inc. S.A. No caso em se apresentem duas ou mais localidades distintas do editor, deve-se colocar a primeira que aparece ou, quando se especifica, a sede principal. Exemplos: Maturana, H. & Varela, F. (1984). El árbol del conocimiento. Santiago, Chile: Editorial Universitaria. Millon, T. & Davis R. (1998). Trastornos de la personalidad. Más allá del DSM-I. Barcelona, España: Masson. Olzak, S. (1992). The dynamics of ethnic competition and conflict. Stanford, CA: Stanford University.

Se o autor é o mesmo que da editora, nesta deve-se pôr Autor. Exemplo:

Corporación Chilena de Prevención del SIDA (1997). De amores y sombras. Poblaciones y culturas homo y bisexuales en hombres de Santiago. Santiago, Chile: Autor.

Se é uma edição diferente da primeira, se acrescenta a edição entre parênteses após o título, abreviando edição como ed. Exemplo:Mitchell, T. R. & Larson Jr., J. R. (1987). People in organizations: An introduction to organizational behavior (3ª ed.). New York, NY: McGraw-Hill.

Se o livro tem reimpressões, põe-se  o ano quando o autor escreveu o livro/o ano de reimpressão. Se escreve a reimpressão entre parênteses após o título, deixando só um espaço e em letra normal. Não se abrevia. Exemplo: Rorschach, H. (1921/1970). Psicodiagnóstico (7ª Reimpresión). Buenos Aires, Argentina: Paidós.

  • Versão eletrônica de livro impresso

Se se trata de uma versão eletrônica de um livro impresso, no lugar do editor e lugar, se relata a versão extraída entre colchetes e a direção eletrônica de onde se extraiu. Se o livro tem doi, também se acrescenta ao final. Exemplo: Schumacker, R. E. & Lomax,R. G. (2004). A beginner's guide to structural equation modeling (2ª ed.) [Versión Adobe]. Extraído de http://www.ebookstore.tandf.co.uk/html/index.asp

  • Livro somente em versão eletrônica

Em vez do editor e lugar, se relata o endereço de onde se extraiu. Se é uma tradução, se relata o título da tradução e entre parênteses o tradutor, relatando o título original, se não é igual ao original.

Ducot, C. (s.f.). An end to anxiety. (E. Pichel-Juan, Trad.; Título original: L'être, le temps et la mor). Extraído de http://www.onlineoriginals.com/showitem.asp?itemID=35

Usa-se s.f. quando não aparece a data da obra.

  • Versão eletrônica de livro republicado

Em vez do editor e lugar, se relata o endereço eletrônico de onde se extraiu e, ao final entre parênteses, o ano do livro original. Exemplo: Freud, S. (1999). El malestar en la cultura. Extraído de http://www.remq.edu.ec/libros (Livro original publicado em 1929).

  • Capítulo inserto em um livro editado

Coloca–se o sobrenome do autor do capítulo, uma vírgula, um espaço, a inicial do nome seguida de um ponto, espaço, ano de publicação entre parênteses, ponto, espaço, título do capítulo em letra normal e em maiúscula somente a primeira palavra, ponto, espaço, "En", espaço, inicial do nome dos editores ou compiladores, ponto, espaço, sobrenome, espaço, entre parêntese se são editores ou compiladores ("Ed." O "Eds." para editor ou Editores; "Comp." ou “Comps.” para compilador ou compiladores, respectivamente), vírgula, espaço, título do livro em itálico e com letra maiúscula na primeira palavra, espaço, p. ou pp., espaço e páginas do livro em que aparece o capítulo entre parênteses separado por hífen, ponto, espaço, cidade da publicação, país, dois pontos, espaço, editoria e ponto. Se se trata de um livro completo com vários volumes, ponha o ano inicial e o ano final separados por hífen e sem número de páginas. Se o capítulo lido é uma versão eletrônica, em vez do editor e localidade deve-se assinalar o endereço eletrônico. Se o livro tem doi, também se acrescenta ponto final. Exemplos: Massaro, D. (1992). Broadening the domain of the fuzzy logical model of perception. En H. L. Pick Jr., P. Van den Broek & D. C. Knill (Eds.), Cognition: Conceptual and methodological issues (pp. 51-84). Washington, DC: American Psychological Association. MacKinnon, G. E. & Waller, T. G. (Eds.) (1971-1985). Reading research: Advances in theory and practice. New York, NY: Academic Press. Frith, U. (1985). Beneath the surface of developmental dyslexia. En K. E. Patterson, J. C. Marshall & M. Coltheart (Eds.), Surface dyslexia: Neuropsychological and cognitive studies of phonological reading (pp. 301-330). Extraído de http://www.icn.ucl.ac.uk/dev_group/ufrith/documents/Frith,%20Beneath%20the%20surface%20of%20developmental%20dyslexia%20copy.pdf

Se a editora é igual aos Editores, Compiladores ou autor, se põe ao final: cidade: Autor/es, Compiladores, Editor/es. Exemplo: Tsukame, A. (1990). La droga y la doble exclusión juvenil popular. En CIDE, CIEPLAN, INCH, PSIPIRQUE & SUR (Comp.), Los jóvenes de Chile hoy (pp. 155-169). Santiago, Chile: Compiladores.

-Dicionários ou enciclopédias

O nome do autor ou editor (Ed. entre parênteses quando é editor). Depois do título do dicionário ou enciclopédia e depois de um espaço põe-se  entre parênteses a edição se não é a primeira, vírgula e o volume consultado. Quando é um dicionário ou enciclopédia com uma equipe editorial extensa, põe-se somente ao editor principal, seguido de et al.

Sadie, S. (Ed.). (1980). The new Grove dictionary of music and musicians (6ª ed., Vol 15). London, Inglaterra: Macmillan.

c) Informes técnicos e de investigação

Coloca-se o sobrenome do autor do informe, uma vírgula, um espaço, a inicial do nome seguida de um ponto, espaço, ano de publicação entre parênteses, ponto, espaço, título do informe em itálico e somente com maiúscula a primeira palavra, espaço, o número atribuído pela organização ao informe entre parênteses, em letra normal, ponto, espaço, cidade de publicação, dois pontos, espaço, nome do departamento específico, instituição, repartição ou instituto específicos que publicaram ou produziram o informe, ponto. Exemplos:

Comisión Económica para América Latina (2006). América Latina y el Caribe: desafíos y oportunidades de una sociedad que envejece (Temas de Población y Desarrollo Nº 5). Santiago, Chile: Autor, CELADE, División de Población de la CEPAL.

Centro Latinoamericano de Demografía (1991). Recursos humanos en salud: Bolivia y Ecuador (LC/DEM/R. 165, Serie A. Nº 259). Santiago, Chile: Autor.

Se é um relatório de uma universidade, inclui-se primeiro o nome da universidade e, após a vírgula, o do departamento ou organização específicos dentro da universidade que produziu o informe. Exemplo: Milicic, N., Alcalay, L. & Torretti, A. (1992). Diseño de un programa para favorecer la identidad femenina en alumnas de 7º y 8º año de educación general básica (Projeto FONDECYT 1992/0799). Santiago, Chile: Pontificia Universidad Católica de Chile, Escola de Psicologia.

Se o informe foi extraído da Internet, identifique o editor como parte da direção eletrônica, a menos que o editor seja o mesmo que o autor. Exemplo: Larrañaga, O. (2001). Distribución de ingresos en Chile: 1958-2001 (Documento de Trabajo Nº 178). Extraído da página Web do Departamento de Economia da Universidad de Chile: http://www.econ.uchile.cl/uploads/publicacion/84039632-4684-4c2e-8a54-49475e2e3edb.pdf

d) Palestras, conferências ou outros em congressos, encontros, reuniões e simpósios

Coloca-se o sobrenome do autor da palestra, uma vírgula, um espaço, a inicial do nome seguida de um ponto, espaço, entre parênteses o ano e mês (a primeira letra em maiúscula) do congresso ou encontro ou encontro separado por uma vírgula, ponto, espaço, título da palestra em itálico e em maiúscula somente a primeira palavra, ponto, espaço, "Palestra, apresentada em", nome do congresso ou encontro em letra normal e com as palavras principais em letra maiúscula, vírgula, espaço, cidade, vírgula, espaço, país, ponto. Exemplo: Hoffman, L. & Goolishian, H. (1989, Junio). Cybernetic and the post modern movement: A dialogue. Ponencia presentada en el Primer Congreso Mundial de Terapia Familiar de la International Family Therapy Association, Dublin, Irlanda.

Se a palestra foi apresentada em um Simpósio ou em uma Mesa Redonda, deve-se indicar o título do mesmo em itálico e em nome do coordenador. Exemplo: Cumsille, P. & Graham, J. (2001, Julio). Modelaje de curvas de crecimiento en la evaluación de programas de prevención de consumo de alcohol y drogas. En P. Cumsille (Coord.), Methodological strategies for the study of psychological processes: Applications to the study of alcohol and drug use. Simpósio realizado no XXVIII Congresso Interamericano de Psicologia de la Sociedade Interamericana de Psicologia, Santiago, Chile.

Se a palestra foi extraída de Internet, deve-se pôr a direção eletrônica após o ponto final, com a legenda Extraído de xxxxxx

Se está incluída em alguma coleção impressa (Proceeding), se cita da mesma forma que um livro editado. Se a coleção está publicada regularmente em Internet, se cita da mesma forma que um artigo, acrescentando em ambos casos o doi, se o tem atribuído.

e)  Tese, Memórias e Dissertações

-Publicadas

Coloca-se o sobrenome do autor, uma vírgula, um espaço, a inicial do nome seguida de um ponto, espaço, ano entre parênteses, ponto, espaço, título da Tese, Memória ou Dissertação em itálico e com maiúscula só na primeira palavra (com exceção dos nomes próprios ou nomes de instrumentos específicos), espaço, e entre parênteses (Tese de ... – Mestrado ou Doutorado – ou Dissertação doutoral ou Tese – ou Memória - ), ponto. Em seguida põe-se a direção eletrônica de onde foi extraída. Se a tese se extrai de uma base de dados de uma universidade, depois de Tese de ... – Mestrado ou Doutorado - , põe-se uma vírgula universidade, cidade, país. Se a tese ou dissertação está em uma base de dados de um serviço especializado, deve-se proporcionar o nome da base de dados e o número de ordem ou acesso. Exemplos: Basevitz, P. (2003). Worry in late adulthood: Developmental perspectives on content, frequency, and worry proneness (Tese de Doutorado, Concordia University, Montreal, Canadá). Extraído de http://graduatestudies.concordia.ca/thesis/index.php?f=list&convocation_year=&degree=&supervisor=&title=&name=basevitz&start=0. McNiel, D. S. (2006). Meaning through narrative: A personal narrative discussing growing up with an alcoholic mother (Tesis de Magíster). Extraído da base de datos de ProQuest Dissertations and Theses (UMI Nº 1434728).

-Não publicadas

Se coloca o sobrenome do autor, uma vírgula, um espaço, a inicial do nome seguida de um ponto, espaço, ano em que foi apresentada entre parênteses, ponto, espaço, título da Tese, Memória ou Dissertação em itálico e com maiúscula somente na primeira palavra (com exceção dos nomes próprios ou nomes de instrumentos específicos), espaço, e entre parênteses Tese de ... – Mestrado ou Doutorado – não publicada ou Dissertação doutoral não publicada ou Tese – ou Memória – não publicada, vírgula, espaço, Universidade, vírgula, espaço, cidade, vírgula, espaço, país, ponto. Exemplo: Venegas, P. (1993). Conflits socio cognitifs et changement de représentations en formation d'adultes: Une étude de cas [Conflictos socio-cognitivos y cambio de las representaciones en la formación de adultos : un estudio de casos] (Tesis de Doctorado no publicada), Faculté de Psychologie et des Sciences de l' Education, Université catholique de Louvain, Bélgica.

Quando o nome da universidade inclui a cidade, esta não volta a ser repetida.

f)Manuscritos não publicados

Consideram-se não publicadas as obras que tenham sido submetidas para publicação, que tenham sido terminadas mas não submetidas para publicação e os trabalhos em progresso. Também se inclui nesta categoria os trabalhos que não tenham sido publicados formalmente mas que estejam disponíveis em uma página Web ou em um arquivo eletrônico.

Se o trabalho está disponível em um arquivo eletrônico, deve-se assinalar ao final. Se está em processo de revisão ou se está em preparação para ser submetido para publicação,  deve-se pôr uma data prévia a da eventual publicação de seu manuscrito.

-Manuscrito submetido e aceito para publicação

Se considera no prelo um manuscrito que tenha sido submetido e aceito para publicação em uma revista. Se cita a revista em que foi aceito em itálico:

Bourgeois, E. (en prensa). Evaluer la transformation de structures de connaissances propositionnelles chez les adultes en formation. Questions méthodologiques pour la recherche [Evaluar la transformación de estructuras de conocimientos proposicionales en los adultos en formación. Cuestiones metodológicas para la investigación]. Psychologie.

-Manuscritos submetidos para publicação em processo de revisão

Consideram-se os manuscritos que tenham sido submetidos para publicação em uma revista e estão em processo de revisão. Deve-se pôr uma data prévia a da eventual publicação e não se deve incluir a revista na referência. Ao final deve-se assinalar “Manuscrito submetido para publicação”. Exemplo:

Zuckerman, M. & Kieffer, S. (2009). Race differences in face-ism: Does facial prominence imply dominance? Manuscrito submetido para publicação.

-Manuscrito em progresso

Esta referência se faz da mesma forma que a anterior,  pondo uma data prévia a da eventual publicação e ao final deve-se assinalar “Manuscrito em preparação”

-Manuscrito não publicado, associado a uma universidade

Após o título e o ponto, deve-se escrever  “Manuscrito não publicado”, vírgula, espaço, nome do departamento ou escola (se corresponde), vírgula, espaço, nome da universidade, vírgula, espaço, cidade, vírgula, espaço, país, ponto. No caso que a universidade esteja nos Estados Unidos, acrescentar as siglas do estado. No caso em que os nomes da cidade ou país estejam no nome da universidade, estes não se repetem. Exemplo:

Arancibia, V. (1987). Estado del arte: manejo instruccional del profesor en la sala de clases en América Latina (Proyecto BRIDGES). Manuscrito não publicado, Harvard University, Boston, MA, Estados Unidos.

-Manuscrito não publicado, associado a uma organização

Se os autores pertencem a alguma instituição, assinala-se esta, a cidade e o país. Exemplo: Langdon, C. & Gazmuri, C. (1991). Un modelo psicosocial integral y sistémico de prevención del abuso de drogas y alcohol (Informe de Estudios Ancora). Manuscrito não publicado, Ancora, Santiago, Chile.

-Manuscrito não submetido para publicação

Indica-se o ano de elaboração do manuscrito. Após o título em itálico se usa ponto, espaço, “Manuscrito não publicado” e ponto. Se se sabe a cidade, põe-se a cidade, vírgula, país e ponto. Se houve extração da Internet, deve-se assinalar o endereço eletrônico ao final. Exemplo: Stinson, C., Milbrath, C. Reidbord, S. & Bucci, W. (1992). Thematic segmentation of psychotherapy transcripts for convergent analyses. Manuscrito não publicado.

g)Documentos não periódicos em Internet

-Capítulo ou seção de um documento em Internet

Deve-se indicar o título da seção ou capítulo do documento revisado, em seguida usar “En” e indicar em itálico o título do documento completo e, finalmente, incluir no lugar do número de páginas, sem itálico e entre parênteses, a identificação do capítulo ou seção (se está disponível). Fornecer a direção eletrônica que conecta diretamente com a seção ou capítulo. Exemplo: Benton Foundation (1998). Barriers to closing the gap. En Losing ground bit by bit: Low-income communities in the information age (Capítulo 2). Extraído de http://www.benton.org/Library/Low-Income/two.html

-Documento multi-página criado por uma organização privada

Quando um documento em Internet esta composto por paginas múltiplas (por exemplo, diferentes seções tem distintos endereços eletrônicos), indique o endereço eletrônico que conecta à pagina de entrada para o documento. Se a data da publicação do documento não esta disponível, deve-se usar (s.f.). Exemplo: Greater New Milford Area Healthy Community 2000, Task Force on Teen and Adolescent Issues. (s.f.). Who has time for a family meal? You do! Extraído de http://www.familymealtime.org

- Documento disponível na página Web de um programa ou departamento de uma universidade ou governo

Se o documento está contido dentro de uma página Web extensa e complexa, identifique a organização principal e o programa ou departamento relevante antes de entregar a direção eletrônica para o documento. Preceda a direção eletrônica por dois pontos. Exemplo: Chou, L., McClintock, R., Moretti, F. & Nix, D. (1993). Technology and education: New wine in new bottles. Choosing pasts and imagining educational futures. Extraído del sitio Web de Columbia University, Institute for Learning Technologies: http://www.ilt.columbia.edu/publications/papers/newwine1.html

-Documento na Internet sem autor ou data identificados

Quando o autor do documento não está identificado, se começa a referência com o título do documento no lugar do autor, em seguida, entre parênteses (s.f), ponto, a instituição em itálico, vírgula em itálico, a seção sem itálico e a direção de onde se extraiu o documento. Exemplo:

El asma (s.f.). Farmavita, Salud Virtual. Extraído de http://www.farmavitaca.com

h) Meios audiovisuais

Estes podem ser filmes, programas de TV, vídeo, mapas, fotos ou qualquer outro meio audiovisual. Em geral deve-se assinalar o produtor ou diretor, ou ambos, pôr em colchetes o tipo de meio e a cidade e país de origem (no caso de filmes, usa-se somente o país de origem). Exemplo: Scorsese, M. (Productor) & Lonergan, K. (Escritor/Director). (2000). You can count on me [Película]. Estados Unidos: Paramount Pictures.

Se o meio está disponível  em Internet, no lugar da cidade e país,  põe-se a direção eletrônica: Extraído de xxxxxx

i) Conjunto de dados, software, instrumentos de medição e aparelhos

Se excluem das Referências para software ou programas de uso comum, tais como Word, Excel, Java, Adobe, Photoshop, SAS, SPSS.

Tratando-se de programas ou software de uso menos comum, deve-se assinalar no texto o nome do programa e a  versão e nas Referências, o nome de quem tem os direitos (se é publicado), vírgula, o ano entre parênteses, o nome do programa, o número da versão (se existe), vírgula, descrição da forma em colchetes, ponto. Localidade, dois pontos, nome do produtor. Se não está publicado o nome de quem tenha os direitos, ponha o nome do software ou conjunto de dados no lugar do nome do programa. Não se deve pôr em itálico o nome do software, programa ou conjunto de dados.

Se foi extraído da Internet, se substitui a localidade e o nome do produtor por: Extraído de xxxxx. Exemplos:

Chile, Ministerio de Salud (2007). Indicadores básicos de salud Chile 2007 [Archivo de datos]. Extraído de http://www.redsalud.gov.cl/portal/url/item/6bd71933f43deabee04001011f014c20.pdf

Heatherington, L. & Friedlander, M. L. (1987/1998). Sistema de codificación del control de la comunicación relacional familiar (M. G. Presedo, C, Revuelta & N. J. Wardle, Trad.) [Manual de codificación]. Extraído de http://www.softa-soatif.com

Comprehensive Meta-Analysis (Versión 2) [Software computacional]. Englewood, NJ: Biostat.

j) Documentos de arquivos e coleções pessoais

Os documentos de arquivos se referem à cartas, manuscritos não publicados em poder do autor, folhetos e panfletos de limitada circulação, documentos institucionais internos, recortes, assim como elementos que não são textos, como fotografias e aparelhos que estão em posse de seus autores, de colecionadores institucionais e de arquivos.

O formato geral é:

Autor, A. A. (ano, mês dia). Título do material [Descrição do material]. Nome da coleção. Nome e localização do depósito.

Em entrevistas, o entrevistado se põe como o autor e se acrescenta o nome do entrevistador na descrição. Exemplo: Zacarías, J. (1985, Julio 10). [Carta a Pedro Kolsky]. Copia en posesión de Loreto Sepúlveda. Castro, F. (2010, Agosto 10). Entrevistado por Televisión Cubana teleSUR [Vídeo]. Disponible en http://www.youtube.com/watch?v=RIz2dcIgBZU

k) Mensagens de Internet, listas de correio eletrônico e outras comunidades em linha

O formato geral é:

Autor, A. A. (año, mes día). Título del correo [Descripción de la forma]. Extraído de xxxxxxxxx

O nome do autor pode ser real ou um pseudônimo. Exemplo: Martín (2007, Diciembre 4). Los cinco síntomas de la depresión [Mensaje en Blog de Psicología y Relaciones Sociales]. Extraído de http://depsicologia.com/los-cinco-sintomas-de-la-depresion/

 

*Documento elaborado com base nas normas contidas na: American Psychological Association (2010). Publication manual of the American Psychological Association (6ª ed.). Washington, DC: Autor.

[Sobre esta revista] [Corpo editorial] [Assinaturas]


Pontificia Universidad Católica de Chile
Facultad de Ciencias Sociales
Escuela de Psicología

Av. Vicuña Mackenna #4860
Santiago - Chile
Tel.: (56-2) 2354 4844
Fax: (56-2) 2354 4844


psykhe@uc.cl