ISSN 0718-7181 versão online
ISSN 0568-3939 versão impressa

INSTRUÇÕES AOS AUTORES

Escopo e política

ARBITRAGEM E AVALIAÇÃO DOS ARTIGOS

  • A avaliação dos artigos recebidos na revista Aisthesis consiste no envio dos documentos em anônimo a um árbitro, que poderá aprovar a publicação, desestimar a mesma ou pedir modificações. Se o resultado desta avaliação for negativo o artigo será submetido à avaliação de outro árbitro. Se os dois coincidem e não aprovam o artigo, então ele não será publicado. No entanto, se o segundo árbitro considera que o artigo pode ser aceito, será solicitada a colaboração de um terceiro árbitro que dirimirá a publicação final do artigo.
  • A Direção da revista, com a prévia autorização do Comitê Editorial, pode solicitar artigos a pesquisadores de prestígio reconhecidos, que estarão isentos de arbitragem.
  • O tempo da avaliação dos artigos recebidos não passará de seis meses.
  • A revista não devolverá os documentos originais. A decisão final sobre a publicação dos artigos será informada ao autor por carta ou e-mail especificando as razões no caso de que o artigo não seja aprovado.Os artigos aprovados serão publicados em algum dos três próximos números da revista Aisthesis.
  • Quando os autores enviam seus artigos são responsáveis pela aceitação de entrega dos direitos para a publicação dos trabalhos.
  • Os autores dos artigos publicados receberão dois exemplares da revista e um exemplar que elabore uma resenha.
  • As opiniões são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam o pensamento da Pontificia Universidad Católica de Chile.

APRESENTAÇÃO DOS ARTIGOS

  • Tanto os artigos como as resenhas devem ser inéditos.
  • Os artigos devem incluir título, resume em espanhol e inglês e três a cinco palavras chaves (também em versão bilíngüe) e o e-mail do autor.
  • A extensão dos artículos deve variar entre 6.000 e 12.000 palavras, e entre mil 500 e 2 mil 500 palavras para cada resenha.
  • Para garantir o anonimato dos autores no processo de arbitragem, os artigos enviados a Aisthesis não devem conter dados referentes aos autores. Esta informação deve ser enviada em um documento separado, que deve incluir uma biografia mínima do autor que contenha graus acadêmicos, sua atual filiação acadêmica ou institucional, suas últimas publicações e seu e-mail.
  • As imagens, se tiver alguma, devem ser enviadas como arquivos independentes, em formato JPG e com uma resolução maior ou igual a 250 dpi.
  • No caso de resenhas, a imagem da capa e a ficha bibliográfica do livro resenhado devem ir anexadas.

Forma e preparação de manuscritos

SISTEMA DE CITAS

  • Os títulos de novelas, poemas, antologias, pinturas, filmes, livros de fotografia, de pintura, de esculturas, revistas e diários devem estar em letra cursiva, tanto no texto como na lista de referências.
  • A fórmula geral para citas dentro do texto é mencionar entre parêntesis o sobrenome do autor, o ano de publicação e o número da página se a cita for literal, de acordo com a seguinte fórmula: (Foucault, 1997: 143).
  • Se no corpo do relato for mencionado o autor, seu sobrenome pode aparecer seguido do ano de publicação do título entre parêntesis, e com o número de página se a referência lhe dá o mérito: Michel Foucault (1997: 143) afirma que...
  • Se o relato não supõe ambigüidades a respeito do autor e do título que está sendo citado, apenas faz falta mencionar entre parêntesis o número de página: (143).
  • Se dois ou mais títulos de um mesmo autor citado no relato têm o mesmo ano de publicação, na lista de referências devem ser ordenados alfabeticamente e deveriam ser citados no corpo do texto como 1997a, 1997b, 1997c, etc.
  • As citas literais de menos de 40 palavras podem ir entre aspas no corpo do relato. As citas literais mais extensas devem ser separadas como um parágrafo diferente e justificado a 10 pontos da margem direita. Se a cita supõe uma ênfase, indique se pertence ou não ao original. Exemplo:
    Segundo Heidegger: unicamente onde haja palavra haverá mundo; isto é, uma área circular, com rádio continuamente variável, de decisão e obras, de atos e responsabilidades e ainda de arbitrariedade e alvoroço, de caídas e extravios. E somente onde haja mundo haverá história (1994: 27; a ênfase é nossa).
  • Se a cita se estender por duas ou mais páginas no documento original, está permitido usar a seguinte fórmula: (288-9). Isto significa que a cita está entre as páginas 288 e 289. • As elipses sejam no princípio, meio ou fim da cita devem ir com três pontos separados por um espaço e entre colchetes: [...].

NOTAS DE RODAPÈ E LISTA DE REFERÊNCIAS

  • As notas de rodapé com referências bibliográficas dos textos citados não são pertinentes. Toda informação bibliográfica vai ao final do artigo em uma lista de referências.
  • Somente é justificado usar uma nota de rodapé se for para esclarecer algum conceito ou contexto que possa desviar a temática e forma do artigo.
  • A lista de referências final somente deve incluir aqueles títulos efetivamente citados no corpo do relato.
  • A forma de citar os títulos varia segundo o tipo de obra citada: novela, conto, artigo, texto lido da Internet, vídeo, etc. A ordem geral da informação é a seguinte:
    Sobrenome, Nome Do AUTOR. (Ano de publicação). Título. Nome do editor, tradutor ou compilador. Edição consultada. Volume consultado. Lugar de publicação. Nome do editorial.
  • Seguem alguns exemplos de diferentes tipos de obra:

LIVRO DE APENAS UM AUTOR:
SIMENON, GEORGES. (1995). La amargura del condenado. Trad. de Joaquín Jordá. Barcelona: Tusquets

LIVRO COM MAIS DE UM AUTOR:
MILLER, TOBY Y GEORGE YÚDICE. (2004). Política cultural. Barcelona: Gedisa.
[Para livros com mais de três autores, são registrados os nomes de todos os autores ou o nome do primeiro autor seguido de “e outros” (et al.)]

LIVRO DE AUTOR DESCONHECIDO:
Poema del Mío Cid. (1983). Buenos Aires: Colihue.

LIVRO COM UM AUTOR E UM EDITOR:
CAMPBELL, GEORGE. (1988). The Philosophy of Rhetoric. Ed. Lloyd F. Bitzer. Carbondale: Sothern Illinois UP.

LIVRO COMPILADO OU EDITADO POR UM OU VÁRIOS AUTORES:
ESPINOSA, PATRICIA (COMP.). (2003). Territorios en fuga. Santiago: Frasis.

HERLINGHAUS, HERMANN Y MONIKA WALTER (EDS.). (1994). Postmodernidad en la periferia. Enfoques latinoamericanos de la nueva teoría cultural. Berlín: Langer Verlag.

DOIS OU MAIS LIVROS DO MESMO AUTOR
CÁNOVAS, RODRIGO. (1997). Novela chilena, nuevas generaciones: el abordaje de los huérfanos. Santiago: Universidad Católica de Chile.
—. (2003). Sexualidad y cultura en la novela hispanoamericana: la alegoría del prostíbulo. Santiago: Lom.

ARTIGO EM UMA COMPILAÇÃO:
BURKE, PETER. (1989). History as social memory. En Thomas Butler (ed.), Memory, history, culture and the mind (pp. 97-113). Oxford: Blackwell.

CONTO OU POEMA EM UMA ANTOLOGÍA
Borges, Jorge Luis. (1990). Tlön, Uqbar, Orbis Tertius. En Oscar Hahn (selecc.), Antología del cuento fantástico hispanoamericano siglo XX. Santiago: Universitaria.

ARTIGO EM REVISTA ACADÊMICA
BICKFORD, LUIS. (2000). Human Rights archives and research on historical memory: Argentina, Chile and Uruguay. Latin American Research Review 2: 160-82.

ARTIGO EM DIÁRIO
DOMÍNGUEZ, CHRISTOPHER. (2003). Un acto de reconocimiento: Roberto Bolaño y literatura mexicana. Diario El Mercurio (Suplemento Revista de Libros), 19 de julio, p. 5.

RESENHA, COMENTÁRIO OU CRÍTICA
MASSMANN, STEFANIE. (2003). Reseña de La máquina de pensar de Borges. Taller de letras 33: 136-8.

INTRODUÇÃO, PREFÁCIO OU PRÓLOGO
HANH, ÓSCAR. (1990). Introducción. Antología del cuento fantástico hispanoamericano siglo XX. Santiago: Universitaria.

TRADUÇÃO
DOSTOIEWSKY, FEODOR. (2001). Crimen y castigo. Trad. de Rafael Cansinos Assens. Barcelona: Planeta.

TESIS OU DISSERTAÇÃO
SANFUENTES, OLAYA. (2003). Las primeras imágenes del caníbal americano. Tesis para optar al grado de Doctor en Historia, Universidad Católica de Chile.

PROGRAMA DE TELEVISÃO OU RÁDIO
SAVATER, FERNANDO. (1995). Entrevista a Fernando Savater. La belleza de pensar. Director, Francisco Vargas. Conductor, Cristián Warnken. Canal ARTV. Santiago: VHS.

RECURSO ELETRÔNICO
DÍAZ GAJARDO, VÍCTOR. (2002). Fragmentación cultural y memoria histórica. Obtenido el 6 de mayo desde <http://www.naya.org.ar/congreso2002/ponencias/victor_diaz.htm>

UMA PÁGINA WEB
UNIVERSIDAD NACIONAL DE QUILMES. (2004). Sitio web de bibliotecas. Consultado el 23 de agosto desde <http://biblio.unq.edu.ar>

Envio de manuscritos

  • Os artigos devem ser enviados por e-mail, em formato RTF, ao endereço da revista (aisthesi@uc.cl), anexando às imagens, se tiver alguma, como arquivos JPG. Além disto, deverão ser enviadas duas cópias impressas ao endereço postal do Instituto de Estética de la Pontificia Universidad Católica de Chile (Avenida Jaime Guzmán Errázuriz #3300, Santiago de Chile).
  • Os artigos devem ser enviados até janeiro, no caso do número que é publicado em julho (primeiro semestre de cada ano); e julho no caso do que é publicado em dezembro (segundo semestre). Os artigos que cheguem depois desta data serão avaliados para o número do próximo semestre.
  • O envio de artigos implica a aceitação das nossas normas editoriais.

[Sobre esta revista] [Corpo editorial] [Assinaturas]


Pontificia Universidad Católica de Chile
Instituto de Estética
Facultad de Filosofía

Av. Guzmán Errázuriz #3300
Casilla 114 D
Santiago - Chile
Fonos: (56-2) 2354 5194 - 2354 5139
Fax: (56-2) 2274 1642


aisthesi@uc.cl

www.puc.cl/estetica